Furacão

O que é um furacão? Como ele se forma? Confira todas as informações sobre o advento climático e conheça quais são os furacões mais famosos


Palavra de origem maia criada para homenagear Huracan, o deus das tempestades, o furacão é formado em cima do oceano, depende da variação de temperatura da água e algumas regiões são mais propícias à formação do que outras.

O que é um furacão

Conhecido como um fenômeno climático – ou ciclone – furacões são sistemas de baixa-pressão com áreas giratórias que se formam em regiões tropicais e transportam calor equatorial para os trópicos. Portanto, embora pareça ser apenas uma catástrofe, suas ações são importantes por estarem relacionadas à circulação do calor no planeta – das regiões tropicais e equatoriais para os trópicos, regiões que recebe menos incidência solar e, portanto, são mais frias.

Furacão

Foto: Reprodução

Classificados em uma escala de 1 a 5, conhecida como escala Saffir-Simpson e avaliada conforme critérios que consideram a velocidade dos ventos, o potencial de destruição, a elevação do mar e a pressão barométrica, um furacão tem velocidade superior a 105 km/h e seus ventos podem chegar até 300 km/h.

Com o desenvolvimento tecnológico foi possível criar estações meteorológicas que acompanham a temperatura e movimentação das águas oceânicas e preveem a formação de furacões que podem atingir a terra. Assim, é possível avisar a população possivelmente atingida para que se preparem e protejam.

Curiosidade: os furacões do Hemisfério Norte giram no sentido anti-horário enquanto os furacões do Hemisfério Sul no sentido horário.

Como se forma um furacão

Os furacões são originados na superfície do oceano quando a água é aquecida pelo sol e atinge temperatura superior a 26°C. O aquecimento aumenta a umidade da atmosfera que, somado a condensação do vapor de água, liberam energia que alimentam os ventos. Portanto, a força de um furacão depende do calor liberado pelo vapor de água – que dá origem às tempestades.

Um furacão começa com um rompimento atmosférico sem rotação, porém, consegue força na energia gerada pela umidade. Assim sendo, quando um furacão atinge a terra tende a perder força, já que não encontra mais água morna. Porém, encontra energia novamente se consegue voltar para o mar ou para regiões abertas de água em alta temperatura.

Incidência

Algumas regiões são mais propicias ao aparecimento de furacões que outra. Isto se da por um conjunto de fatores que envolvem a recepção dos raios solares, formação tectônica e movimentos das correntes marítimas que permitem ou não o aumento da umidade troposférica.

Entre as regiões de maiores incidências estão:

  • Oceano Atlântico Norte (região do México)
  • Oceano Pacífico Norte Ocidental;
  • Oceano Pacífico Norte Oriental;
  • Oceano Pacífico Sul;
  • Oceano Índico Norte;
  • Oceano Índico Sudeste;
  • Oceano Índico Sudoeste;

E entre os furacões mais conhecidos estão: Íris (1995), Mitch (1998), Isidore (2002), Catarina (2004), Rita (2005), Wilma (2005), Katrina (2005), Félix (2007) e Dean (2007).

Furacões no Brasil

Embora e região do Oceano Atlântico Sul não seja propícia para a formação de furacões, o Brasil já registrou o fenômeno algumas vezes.

Em março de 2004 um furacão com ventos de até 170 km/h atingiu as regiões litorâneas dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O ciclone foi um dos mais violentos já registrados no Brasil.


Reportar erro