G8 – Grupo dos oito

Entendendo o que é o G8 Com os governantes dos oito países mais poderosos do mundo, o G8 é um grupo que se reúne…


Entendendo o que é o G8

Com os governantes dos oito países mais poderosos do mundo, o G8 é um grupo que se reúne com a intenção de decidir os caminhos que a economia do mundo deve seguir. Com as economias consolidadas e forças políticas influentes em organizações mundiais – ONU, FMI, OMC – os países reúnem-se para colocar em debate o processo de globalização, abertura de mercados, problemas ambientais, ajuda financeira para economias em crise, e muitos outros tópicos que precisam ser debatidos.

G8

Foto: Reprodução

Objetivos

Entre seus objetivos, segundo os líderes do grupo, as discussões do G8 buscam minimizar as disparidades que existem entre as economias dos países subdesenvolvidos. As discussões envolvem ainda a melhor forma de vender a ideia de um mundo melhor. No entanto, críticos afirmam que a forma com que buscam o mundo melhor é uma aplicação capitalista de que é importante abrir novos mercados para as Corporações Transnacionais e privatizar o que for possível.

G7

Apesar de ser chamado de G8, o nome do grupo encaixa mais como G7. Em 1975 aconteceu o primeiro encontro, na França, e a partir de então o grupo tem se encontrado anualmente. A Rússia, em 1994, começou a participar do grupo quando iniciou sua transição para uma economia de mercado. Em 1997, o grupo G7, junto com a Rússia, assumiu o título de G8 em Denver.

Participam das reuniões anuais os governantes dos oito países – Rússia, Estados Unidos, Japão, Inglaterra, França, Itália, Canadá e Alemanha -, o presidente da Comissão Européia e algumas pessoas importantes no Banco Mundial, FMI, OMC e ONU.

Os pontos negativos

O G8, basicamente, incorpora a ideia de um funcionamento da globalização neoliberal e das desigualdades mundiais. O grupo tem em mãos a chave da economia mundial, com o poder de abrir ou fechar as portas dos mercados por todo o mundo, no entanto, ao manter esse poder, com o controle das corporações sobre o processo democrático, a estabilidade que é em teoria um objetivo do grupo, apenas facilita a vida das corporações. O grupo, que recentemente excluiu a Rússia, é muito criticado por movimentos sociais que normalmente são integrados ao movimento antiglobalização. Os movimentos acusam o G8 de decidir as políticas globais sem nenhuma transparência ou legitimidade.

Alguns afirmam que o grupo é culpado pela pobreza de países como a África, e outros em desenvolvimento pela política de comércio e aquecimento global. Isso devido à falta da implementação de soluções eficazes quanto à emissão de monóxido de carbono, problema da AIDS, política de patentes de medicamentos entre outros diversos. Dessa forma, o grupo é constantemente pressionado a proporcionar soluções por problemas que são acusados de criar. Existem acusações ainda, de que a falta de representantes do hemisfério sul só reafirma que o G8 apenas busca manter seu poder de influência sobre todo o mundo.


Reportar erro