Game: Entenda o que é e como funciona o Pokémon GO

Trata-se de um jogo baseado em uma realidade aumentada também chamada de geolocalização. Ou seja, o usuário vê um Pokémon dentro de um mundo normal


Depois do sucesso nos anos 90, o Pokémon agora tornou-se, novamente, um dos assuntos mais comentados em todo o mundo. Tudo isso graças ao aplicativo para Android e IOS lançado pela Nintendo e The Pokémon Company, o Pokémon GO. Trata-se, na verdade, de um jogo baseado em um esquema de realidade aumentada também chamado de geolocalização. Em outras palavras, o usuário pode ver normalmente o mundo ao seu redor com a câmera do celular, mas ao mesmo tempo ver também um Pokémon.

Sobre o aplicativo e o seu sucesso no mundo

Disponível no Brasil, a proposta do game é pegar o máximo de Pokémon possível, treiná-los e desafiar outras pessoas com seus monstrinhos de bolso. Apesar do estrondoso sucesso, o jogo ainda está sendo lançado gradativamente pelo mundo. Países como Estados Unidos, Japão e França já possuem o jogo disponível para download.

Para se ter noção da febre que o jogo se tornou, o SimilarWeb disponibilizou dados que mostram o Pokémon Go a frente do Tinder no quesito de instalações nos EUA. Levando em consideração este percentual, acredita-se que em pouco tempo o jogo ultrapassará o Twitter com relação a usuários ativos.

Como funciona o jogo?

Game: Entenda o que é e como funciona o Pokémon GO

Foto: Divulgação

Mesmo sem está disponível no Brasil, o jogo aparece com frequência nas guias de busca do Google. Além disso, os brasileiros podem se tornar os próximos sortudos a receberem autorização para baixar o Pokémon GO. Por estas razões, é importante saber como é usado este aplicativo. Portanto, antes de mais nada vale ressaltar que ele pode ser baixado pelo App Store, no caso de aparelhos com sistema iOS, e também no Google Play, para os telefones de sistema Android.

Depois do download, os jogadores deverão ligar o GPS pois não são os seres humanos que encontram os Pokémon, são eles que encontram os treinadores. Outro aspecto que merece destaque é com relação aos termos de uso deste jogo, pois assim como outros aplicativos gratuitos, este também possui elementos dentro do jogo que podem ser comprados com dinheiro real.

Por exemplo, para capturar um Pokémon é preciso ter uma Pokébola. Este acessório, às vezes, é concedido a cada nível que o jogador consegue alcançar, outras vezes ela precisa ser comprada. Além disso, existem algumas que são especiais, pois conseguem capturar monstrinhos de bolso mais raros, como a Great Balls, Ultra Balls e Master Balls. O nível de dificuldade em capturar um Pokémon vai depender da espécie dele, pois alguns são mais difíceis que outros. Para identificar, eles vêm com uma circunferência colorida, a verde indica que ele é fácil, a laranja, médio, e a vermelha, difícil.

Se o jogador manter o GPS ligado, ao sair, o celular pode vibrar indicando a presença de algum Pokémon. Assim que identificá-lo, é preciso arremessar a Pokébola com precisão para conseguir capturá-lo. Depois que for pego, o monstrinho é armazená-lo e no próprio celular ele é treinado para depois ser colocado para duelos.

Polêmicas

Contudo, várias pessoas questionaram o uso do app com relação aos riscos que o jogo pode trazer, levando em consideração assaltos, como também acidentes. Em resposta, os desenvolvedores do game afirmaram que os interessados devem “jogar com amigos quando forem para lugares novos e desconhecidos”. Além disso, é necessário “lembrar de se manter em segurança e alerta todo o tempo”.


Reportar erro