Garoto nasce com parte do cérebro no nariz

Ollie Trezise surpreendeu a todos com a rara condição que carregava em seu rosto, chamada de encefalocele. Veja como o menino era e ficou com a cirurgia


Já imaginou ter parte do cérebro na cavidade nasal? E ao se ver crescer, observar também o crescimento de seu nariz? Esta foi a condição que o pequeno Ollie Trezise teve que enfrentar por um período de 1 ano e 9 meses. O garoto que nasceu em fevereiro de 2014, na cidade de Maesteg, no País de Gales, surpreendeu à todos com a condição que carregava em seu rosto, chamada de encefalocele. Esta anormalidade faz o cérebro crescer através de uma rachadura no crânio e vai para o nariz e a medida que o órgão vai crescendo o nariz também aumenta de tamanho.

A vida de Ollie antes da cirurgia

Amy Poole, de 22 anos, é a mãe de Ollie e de Annabelle, de 4 anos. Ela conta que o menino sempre foi muito alegre e sorridente, mas que mesmo assim as pessoas faziam comentários maldosos sobre a condição rara que o garoto apresentava. “É de partir o coração. Uma vez, uma mulher me disse que eu nunca deveria ter dado à luz a ele. Eu quase caí aos prantos. Para mim, Ollie é perfeito”, afirma.

A mãe do garoto lembra que com 20 semanas de gravidez, os médicos já podiam ver um tecido inesperado crescendo na face de Ollie, mas que mesmo assim, quando ela o viu pela primeira vez ficou surpresa. “Quando eles me deram Ollie para segurar, eu estava tão surpresa que não conseguia falar. Ele era tão pequeno, mas possuía um enorme caroço em seu rosto, do tamanho de uma bola de golfe. No começo, eu não tinha certeza de como iria lidar com a situação. Mas sabia que iria amá-lo, independentemente de como ele fosse”, disse Amy.

garoto-nasce-com-parte-do-cerebro-no-nariz

Foto: Reprodução/ Mirror

Procedimento cirúrgico

Com apenas 1 ano e 9 meses, Ollie teve que passar, durante duas horas, pela cirurgia para a retirada do excesso de fluidos cerebrais, abrir a passagem nasal e reconstruir o nariz do pequeno. Amy conta que estava apreensiva em deixar que a cirurgia ocorresse, uma vez que Ollie era pequeno e frágil, mas era necessário. “Os médicos explicaram que ele corria risco de contrair uma infecção ou até mesmo meningite, caso batesse o nariz. Então eu concordei com a cirurgia”, explica.

Pós-cirúrgico de Ollie

O futuro de Ollie será marcado por outras cirurgias, porém os médicos estão observando como o cérebro da criança responde antes de tentar outra intervenção cirúrgica. Enquanto isso, o garoto passa por testes e acompanhamento médico regularmente. Apesar da rotina cansativa, Ollie era e ficou ainda mais uma criança sorridente. Mesmo após o procedimento cirúrgico e com algumas dores o pequeno não tira o sorriso dos lábios.

Para sua irmã mais velha, Annabelle, Ollie é seu melhor amigo e os dois se divertem muito com as brincadeiras. Já para Amy, o filho é um exemplo de recuperação e superação. A mãe acredita que a história do pequeno pode gerar conscientização e dar esperança a crianças e adultos. “Ele é um menino tão adorável que é impossível não o adorar. Ollie é inteligente, original, engraçado e me surpreende a cada dia”, completa Amy.


Reportar erro