Guerra anfíbia

Chamamos de guerra anfíbia ou ainda operação anfíbia o tipo de operação militar ofensiva que usa embarcações de guerra a partir do mar, com…


Chamamos de guerra anfíbia ou ainda operação anfíbia o tipo de operação militar ofensiva que usa embarcações de guerra a partir do mar, com uma força naval ou de desembarque em navios ou embarcações em uma praia hostil ou potencialmente hostil.

Guerra anfíbia

Foto: Reprodução

Como funciona?

Para o bom funcionamento, é preciso a participação de uma área extensiva, forças extremamente treinadas, equipadas e organizadas para isso, com funções de combate distintas.

O esforço e a coerência operacional são essenciais, pois a guerra anfíbia é complexa e vulnerável. A principal dificuldade nesse processo, normalmente será ditar que o comandante, além de conduzir as operações anfíbias, irá participar em planejamento, integração do teatro e apoio. Entre os principais tipos de operação anfíbia, encontramos o assalto anfíbio, e a guerra anfíbia, de uma forma geral, envolve operações definidas por tipo, objetivo, tamanho e pela forma como são realizadas.

Características

O termo anfíbio ligado à guerra surgiu nos Estados Unidos durante a década de 30 depois do surgimento do projeto do carro sobre lagarta anfíbio. Os primeiros protótipos desse projeto receberam o nome de alligator e crocodile, ou em português, jacaré e crocodilo – apesar de nenhuma dessas espécies serem anfíbia.

O desembarque anfíbio de uma tropa em uma praia, desde o século XX é visto como a manobra militar mais complexa. Isso requer o envolvimento e coordenação de muitas especializações militares como força aérea, fogo de artilharia naval, transporte naval, planejamento logístico, equipamentos específicos, combate terrestre e treinamento extensivo de todos os detalhes para toda a equipe envolvida.

As operações desse tipo podem ser classificadas como táticas ou operacionais. As táticas, normalmente, são operações onde os soldados têm um número limitado de objetivos para realizar, neutralizando defensores inimigos e obtendo uma nova base de operações.  Normalmente esse tipo de tática é usado em ilhas com menos de 5.000km².

Já as operacionais são, normalmente, objetivando a exploração da vulnerabilidade da costa inimiga indefesa, forçando a redistribuição de forças e a utilização de tropas reservas, desviando a atenção dos inimigos de outro lugar. Essa, ao contrário da primeira – que pode ser planejada em dias ou semanas -, exige semanas ou até mesmo meses de planejamento.


Reportar erro