Guerra contra a pobreza na África

Dividido em 55 países, o continente africano é reconhecido pela sua grande diversidade, que vai desde as características naturais até as sociais e históricas.…


Dividido em 55 países, o continente africano é reconhecido pela sua grande diversidade, que vai desde as características naturais até as sociais e históricas. A África é atravessada pelo meridiano de Greenwich, pela linha do Equador e pelos Trópicos de Câncer e de Capricórnio, ocupando uma posição singular no mapa-múndi.

Guerra contra a pobreza na África

Foto: Reprodução

Guerras, epidemias, pobreza e fome

Embora possua uma grande diversidade natural e as famosas savanas (tipo de vegetação dispersa, constituída por árvores de médio porte e campos naturais que oferecem condições de sobrevivência para mamíferos como girafas, leões e outros), o continente também possui um quadro adverso: 1/3 de suas áreas são desérticas, destacando-se o Deserto do Saara, o Deserto da Namíbia e o Deserto do Kalahari, e de florestas impenetráveis, Além disso, tem o título de pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e o maior Índice de Pobreza Humana (IPH) do mundo. Isso significa que o continente africano possui o menor PIB per capita, as mais elevadas taxas de analfabetismo, de subnutrição, mortalidade, natalidade, mortalidade infantil e de crescimento demográfico.

Em países como a Somália, Etiópia e Sudão, a população convive com as doenças e a fome; e as guerras civis são comuns em países como a Angola, Serra Leoa, Ruanda, dentre outros.

Economia de subsistência

A maioria dos países africanos vive da economia de subsistência com um baixo rendimento, passando fome no intervalo entre duas colheitas. Além de problemas como a fome e guerras, há um grande problema na área da saúde com a propagação de epidemias. Uma das doenças mais alarmantes no continente é a AIDS: há duas décadas, mais de 23 milhões de casos em uma população de 760 milhões de pessoas, cerca de 71% dos portadores do vírus HIV vive na região. A malária é outra doença que provoca muitas mortes na África, sendo que cerca de 90% dos casos mundiais da doença ocorre na África Subsaariana. Além dessas doenças, o continente africano tem um número elevado de casos de meningite e tuberculose. Após a descolonização, as guerras civis tornaram-se constantes no continente. Por ser um continente rico em minerais, ouro, petróleo e outras riquezas naturais, a África foi bastante explorada por potências mundiais, além de ter sido fornecedora de mão de obra.

Condições de vida

Um dos problemas históricos mais notáveis no continente africano é o apartheid, com a discriminação e segregação dos povos. No continente africano existem faltas de condições de vida em diversas áreas, como na área de saúde, comunicação, comércio, educação, alimentação e moradia. A intervenção humana é também uma grande causadora da pobreza e fome no continente: a escassez de alimentos e falta de água são agravados pela instabilidade política, com políticas agrárias ruins e uma má administração dos recursos naturais. Por todas estas razões, a África é um continente que vive constantemente em guerra contra a pobreza.


Reportar erro