Guerra do Peloponeso

Também conhecida como Guerra Mundial da Antiga Grécia, a Guerra do Peloponeso foi um conflito entre Atenas e Esparta. A guerra entre as cidades-estado…


Também conhecida como Guerra Mundial da Antiga Grécia, a Guerra do Peloponeso foi um conflito entre Atenas e Esparta. A guerra entre as cidades-estado aconteceu entre os anos de 431 e 404 a.C., e foi detalhada em relatos de dois historiadores da Grécia Antiga: Xenofonte e Tucídides.

Guerra do Peloponeso

Foto: Reprodução

Motivos da guerra

Apesar de formalmente amigáveis durante as Guerras Médicas, as relações entre Atenas e Esparta eram sempre tensas, e deterioraram-se a partir do ano de 450 a.C. Atenas dominava politicamente a Liga de Delos, comandando todo o comércio marítimo desfrutando então de uma situação financeira muito boa.

Entre os principais motivos da guerra, estavam essas tensas relações entre espartanos e atenienses. Havia uma grande pressão por parte de um segmento da  parte espartana – a cidade de Corinto – para atacar Atenas e iniciar uma guerra. Atenas enfrentava problemas comerciais com Corinto, e os espartanos viam sempre com muita desconfiança e também como uma ameaça o grande desenvolvimento econômico e o aumento da influência política que Atenas conquistava na região da Península do Peloponeso. As duas cidades-estado passaram a disputar a hegemonia política e econômica na região, deixando o relacionamento entre elas ainda mais tenso.

Como aconteceu?

Com a pressão da cidade de Corinto, Tebas, cidade aliada de Esparta, ataca a cidade de Platéia – aliada de Atenas – iniciando a guerra que teve uma duração de 27 anos. Como aliadas de Esparta, estavam as cidades de Corinto, Tebas e Mégara. Enquanto isso, Atenas tinha como aliadas as cidades de Platéia e Ática.

Ao contrário das outras guerras entre Esparta e Atenas, esta foi longa e envolveu muitos combatentes e grandes investimentos em armamento, além de muitas estratégias. As guerras que, anteriormente, possuíam um caráter estival, de curta duração, sem grandes investimentos ou estratégias, durante a Guerra do Peloponeso, envolveram grandes blocos de Estados e muitas áreas de combate.

O fim da guerra e suas consequências

A guerra teve fim em abril de 404 a.C. com a rendição de Atenas, além da conquista espartana em Helesponto. O sistema democrático de Atenas foi derrubado e foi implantado um sistema de governo autoritário que ficou conhecida como Tirania dos Trinta – devido à sua formação, que envolvia trinta oligarcas -. Com o fim da guerra, Atenas perdeu seu poder na península, e instaurou-se a hegemonia política e econômica de Esparta, que tinha o sistema voltado para o fortalecimento militar. Os oligarcas acabaram com a Confederação de Delos, entregando todo o resto da fronteira para Esparta. A democracia, no entanto, foi restabelecida em 403 a.C..


Reportar erro