Helmintologia

O ramo da zoologia responsável pelo estudo dos vermes, de uma forma geral, é denominado Helmintologia. O estudo remete àqueles vermes reunidos sob o…


O ramo da zoologia responsável pelo estudo dos vermes, de uma forma geral, é denominado Helmintologia. O estudo remete àqueles vermes reunidos sob o filo dos platelmintos, ou ainda os asquelmintos – mais especificamente ao estudo dos vermes parasitas. No entanto, envolve também o estudo da interação entre os helmintos e seus hospedeiros, por isso é uma ciência ecológica-zoológica e uma ciência veterinária-biomédica.

A parasitologia médica estuda alguns vermes parasitas, essencialmente. São eles: Schistoma mansoni, Taenia sollium, Taenia saginata, Ascaris lumbricóides, Trichuris trichiura, Enterobius vermiculares, Ancylostoma brasiliensi, Ancylostoma caninum, Ancylostoma americanus, Necatos americanus e Strongiloides stercoralis.

O estudo, fundado no século XVII pelo médico, naturalista e fisiologista italiano Francesco Redi, tem seu nome derivado do grego helminthos que significa verme, e logos que significa estudo. De acordo com Lineu, 1758, a definição de vermes era usada para definir todos os animais metazoários de corpo alongado e desprovidos de apêndices. Isso pode envolver tanto os vermes planos como os cilíndricos lisos ou cilíndricos segmentados. Os helmintos são divididos em três filos: platyhelminthes, Aschelminthes, Acanthocephala.

Helmintologia

Foto: Reprodução

 

Qual a importância dessa área de estudo?

Essa ciência é muito importante, pois alguns vermes parasitam o corpo humano, sendo responsáveis pelo desenvolvimento de doenças em hospedeiros. É essencial que o organismo, ciclo de vida e a penetração e atuação no corpo humano sejam conhecidas, pois isso auxilia no processo de tratamento e desenvolvimento de medicamentos para combater as doenças causadas por eles.

No entanto, não são apenas os vermes que parasitam os seres humanos que são estudados, mas também os que têm os animais como hospedeiros. Isso é importante também para manter a saúde e melhorar o tratamento de animais domésticos e animais destinados à alimentação, por meio do fornecimento de carne.

As doenças

No papiro de Ebers, datado de 1500 a.C., já se encontravam registros de doenças causadas por helmintos – vermes parasitas – onde se podem reconhecer as descrições de tênias e lombrigas.

Entre as doenças mais comuns estudadas, encontramos a cisticercose que é humana e bovina, teníase humana, cenurose nos ovinos, distomatose hepática nos ruminantes domésticos, hidatiose nos humanos, ruminantes e suínos, estrongiloses gastrointestinais e pulmonares em equinos, ancilostomose em cães – principalmente jovens -, espirocercose nos cães, triquinose suína – podendo ser transmitida ao homem, sendo esses apenas alguns exemplos de um número gigantesco de enfermidades causadas pelos helmintos.


Reportar erro