História da capitania de Itamaracá

Veja a história da capitania de Itamaracá (atual Paraíba) que envolve o Tratado de Tordesilhas e as Capitanias Hereditárias


A capitania de Itamaracá era uma das quinze faixas de terra chamadas capitanias hereditárias, que dividiam a parte que Portugal detinha do território brasileiro. A capitania de Itamaracá, de maneira mais específica, passou por diversas turbulências: Uma chacina encabeçada pelos índios potiguaras dizimou os colonos portugueses da região, a capitania passou mais de 10 anos sem um representante da coroa nas terras e mudou de nome.

História da capitania de Itamaracá

Imagem: Reprodução

Sobre a formação das Capitanias Hereditárias…

Após a assinatura do Tratado de Tordesilhas, que firmava um acordo entre o Reino da Espanha e o Reino de Portugal referente a divisão das terras recém descobertas, Portugal decidiu dividir a sua parte no território em faixas e deixar cada faixa sob a responsabilidade de uma pessoa apenas. Essas pessoas que ficavam cuidando do desenvolvimento das terras em nome da coroa eram nobres de Portugal devidamente escolhidos pelo rei. Caso  pessoa a quem a tarefa foi delegada morresse, o seu filho assumiria imediatamente o comando das terras, por isso essas faixas de terra ficaram conhecidas como “Capitanias Hereditárias”.

Linha do tempo da história da Capitania de Itamaracá

  • 1533 – As capitanias hereditárias são divididas e a Capitania de Itamaracá é doada a Pero Lopes de Souza. Essa Capitania ficava onde hoje encontramos a cidade de João Pessoa, no estado da Paraíba. Antes da chegada dos portugueses os franceses já tinham começado no local a exploração da árvore pau-brasil e mantinham uma relação cordial com os índios que viviam lá, os índios potiguaras.
  • 1534 – O Donatário das Terras, Pero Lopes de Souza morre. Como não foi cumprida a Lei das Sesmarias, que dizia que o donatário tinha o dever de fixar trabalhadores nas terras e diminuir o despovoamento, as terras voltaram ao patrimônio da Coroa, e a Capitania de Itamaracá tornou-se capitania real.
  •  1540 – O administrador real que iria ser responsável por Itamaracá foi nomeado: João Gonçalves. Mas ele só chegou nas terras em 1548.
  • 1574(Início do ano) – Acontece a tragédia de Trucunhaém. Índios potiguaras, que mantinham um bom relacionamento com os franceses, foram até o Engenho Trucunhaém (próximo a onde hoje é a cidade de Goiana, no estado de Pernambuco), e atacaram a população de lá, depois que o proprietário do engenho, Diogo Dias, se recusou a entregar uma índia que havia sido levada da aldeia para se casar com um rapaz que morava no engenho. No ataque morreram todos os colonos, os escravos e o proprietário do engenho.
  • 1574 (Final do ano) –  Depois do ataque o rei de Portugal extingue a capitania real de Itamaracá e cria a capitania real da Paraíba, que só viria a ser instalada em 1585.
  • 1599 – A paz com os índios potiguaras é alcançada após uma epidemia de varíola levar vários deles à morte.
  • 1654 –  O território passa a se chamar definitivamente Parahyba.

Reportar erro