História da filosofia antiga – Filósofos e contexto histórico

Conheça a história da filosofia antiga, que iniciou na Grécia, com filósofos como Tales de Mileto e Pitágoras. Saiba como era o contexto histórico e mais


Chamamos de Filosofia antiga o período que data  desde a sua criação, no século VI a.C. até a queda do Império Romano, quando os pensadores gregos começaram a se fazer inúmeras perguntas sobre a racionalidade humana, e tentaram encontrar explicações para absorver o entendimento de sua própria natureza.

História do início da filosofia antiga

Costuma-se atribuir a Pitágoras de Samos, filósofo grego que viveu no século VI a.C, a criação do termo Filosofia. Para os gregos a Filosofia tinha um significado muito profundo, era uma constante busca pela sabedoria, era o amor por esta tal sabedoria. O saber era algo mágico, um dom, se assim podemos dizer, um privilégio que apenas os deuses possuíam, e cabia aos humanos tentar encontrá-la, entendê-la, e assim, compartilhá-la, mesmo que fosse necessário entender que por mais que se procure a sabedoria, ninguém jamais a terá. Ela é uma busca constante, quanto mais se procura, mais se tem a procurar. A princípio ela tinha um conceito religioso, pois sempre que se falava em Filosofia se citavam os deuses e seres míticos, porem, mesmo com a mudança de raciocínio muito tempo depois, o significado geral continuou sendo o mesmo, pois independente da área que ela seja empregada, seu conceito é único, a busca pela sabedoria.

História da filosofia antiga

Tales de Mileto, importante nome na história da filosofia antiga. | Imagem: Reprodução

O primeiro filósofo foi o grego Tales de Mileto, que se viu com uma enorme necessidade de entender o mundo, não apenas como todos diziam entender, mas de uma força mais profunda, com argumentos concretos, reais.

Quando a Filosofia antiga diz que seu objetivo é compreender toda a racionalidade humana, o que ela está realmente tentando nos explicar é que seu objetivo de estudo não aceita simples explicações míticas, sem uma origem clara ou fundamentada. Não é aceitável dizer que está chovendo apenas porque uma nuvem carregada, enviada por um deus, parou sobre um local. Os filósofos queriam mais do que essa teoria, eles desejavam a compreensão por inteiro de tal ato, o porquê desta nuvem está carregada, que detalhes fazem com que se acumule essa água e ela caia em seguida. Como se formam essas partículas. Eles querem argumentos, querem entender as verdadeiras causas desse fenômeno, isso o distingue dos mitos, pois sua explicação deve vir da Razão, com fundamentos convincentes.

Escolas

Quando citamos a história da Filosofia Grega ouvimos muito falar em certas escolas, e a escola Jônica é um nome muito citado, isto acontece porque foi nela que a filosofia teve início, na Jônia, uma colônia grega da Ásia. Os grandes filósofos que fazem parte dessa escola tinham como base a busca pela origem das coisas, um exemplo disso é o já citado Tales de Mileto, que buscava a existência de um princípio para tudo, além também de Anaximandro, outro importante nome.

A escola Itálica, que fez parte do período pré-sofista teve nomes de destaque, como Filolau de Crotena, e Aquitas de Tarento.

Pulando para uma outra importante escola, a de Alexandria, temos nomes que se tornaram famosos e conhecidos em várias ciências, como:

  • Pitágoras, que além de influenciar na Filosofia contribuiu e muito na matemática, com seus teoremas que levam seu nome e que conhecemos na escola;
  • Demócrito, que alegava que todas as coisas do universo era composta por átomos;
  • Heráclito, que acreditava em uma lei do universo caracterizada por uma mudança constante.

A filosofia antiga terminou com o fim do período helenístico, que teve como nomes de destaque Zenão de Cício, Panecio de Rodes, Sêneca e Marco Aurélio.


Reportar erro