História do Antigo Egito

Conheça um pouco da magnífica história do Antigo Egito, lar de pirâmides, imperadores e deuses que marcaram a história das civilizações


A incrível sociedade do Egito Antigo

Durante uma antiguidade remota, a civilização egípcia foi a que mais surpreendeu, pois conseguiu se desenvolver muito bem, principalmente no aspecto cultural, onde podem ser inseridos a escrita, a pintura, a arquitetura, a mitologia e a escultura. A sociedade do Egito Antigo era bastante organizada, tanto que a divisão social do lugar poderia ser distribuída em um gráfico bem simples. Na base da sociedade estavam os povos escravos, que eram quase todos de origem estrangeira e eram poucos; no meio da escala poderiam ser encontrados os camponeses livres, que viviam nas aldeias e precisavam pagar diversos tributos ao Estado e aos templos (essas pessoas compunham a maioria da população). Havia também uma camada intermediária que era representada pelos artesãos urbanos, e  por fim, a classe dominante, que era formada pelo faraó, sua família, os sacerdotes, militares e altos funcionários do Estado (escribas e monarcas, por exemplo).

A importância do papiro na história do Antigo Egito

Às margens do Rio Nilo, o papiro era abundante. Suas fibras foram utilizadas na confecção de embarcações, redes e cordas, contudo essa matéria-prima teve enorme importância na fabricação do papel. Os escribas da época utilizavam o papiro para transcrever fatos da história, como era o dia a dia do governo e as questões religiosas do povo egípcio. Grande parte do que foi escrito conseguiu ser conservado e arqueólogos modernos conseguiram decifrar os hieróglifos nos papiros.

Os três impérios do Antigo Egito

A história da política no Egito se divide em três grandes grupos chamados de impérios, que foram separados por um período de graves crises, ou como são chamados, Períodos Intermediários.

  • Antigo Império: Esse primeiro período é caracterizado pela edificação das grandes pirâmides (Guisé), pelo crescimento da atividade agrícola, pelo desenvolvimento da ciência (medicina e matemática) e das grandes construções (palácios e templos). Não são conhecidas as razões que levaram ao fim desse poder central.
  • Médio Império: Próximo ao ano de 2100 a.C. foi restabelecido o poder central e a autoridade do Estado foi ampliada. A produção agrícola cresceu e diversas obras de irrigação foram construídas.
  • Novo Império: É o mais importante e conhecido período do Egito Antigo que começa em 1550 e vai até 1076 a.C.. Foi nesse momento que houve a expansão para a Ásia e também as conquistas da Palestina, Fenícia e Síria, chegando até o Rio Eufrates na Mesopotâmia.

O declínio do Império Egípcio

Milhares de centenas de anos se passaram e no século 6 a.C., o território egípcio perdeu a independência. No ano de 525 a.C., o Egito já havia sido invadido pelo imperador da Pérsia, Cambises, que manteve o local como satrapia persa durante 200 anos. Já em 332 a.C., Alexandre Magno da macedônia, que já havia conquistado muitos outros territórios, também conquistou o Egito, mas dessa vez a população gostou do feito, pois acreditavam que Alexandre libertara a terra dos poderes persas.

Após 28 anos após tal ocupação, os herdeiros do último imperador deram origem à dinastia dos Ptolomeus, dando início a uma era que ficou conhecida como Período Ptolomaico, estendendo-se até 30 a.C. até serem invadidos pelos romanos, que ocuparam definitivamente o Egito Antigo.

Imagens

Pirâmides do Antigo Egito

Imagem: Reprodução

 

Esfinge

Imagem: Reprodução

 

Papiros do Antigo Egito

Imagem: Reprodução

 

Máscara de Tutancâmon

Imagem: Reprodução


Reportar erro