História do Cangaço – O que foi e detalhes de seu fim

O cangaço foi um tipo de banditismo que surgiu no Nordeste brasileiro no século 19. Conheça sua história e os principais nomes envolvidos


Entre o final do século XIX e meados do século XX, o Nordeste brasileiro foi palco de um dos tipos de banditismo que mais ficaram famosos na história do nosso país: o cangaço. Os cangaceiros, como eram chamados os integrantes desses bandos, eram ladrões, assassinos e andavam fortemente armados. Dentre seus principais crimes estava o saqueamento de cidades, povoados e fazendas, sem nenhuma punição, e ainda impondo suas próprias regras e leis na região que “dominavam”.

História do Cangaço - O que foi e detalhes de seu fim

Bando de Lampião, o mais famoso da história do cangaço. | Foto: Reprodução

Tudo isso só era possível por que eles contavam com o isolamento do sertão, principalmente quando o assunto era segurança pública. O descaso e a incompetência das autoridades faziam com que eles assumissem o controle de onde quisessem, em troca de proteção para coronéis e vários chefes políticos.

História

O cangaceiro, em especial Lampião, é visto hoje tanto como uma espécie de Robin Hood (personagem que roubava os bens dos ricos e dava aos mais necessitados), como um ser pré-revolucionário, que não seguia as regras e que subvertia toda a ordem social da região onde vivia.

Podemos comparar o cangaço com o tipo de banditismo que é praticado atualmente nas favelas do Rio de Janeiro, onde os chefes de quadrilhas, apesar dos crimes cometidos, são considerados entre os locais como benfeitores, pois dão proteção àqueles que moram lá e que os seguem.

O cangaço surgiu no século XIX, mas alcançou seu auge em meados do século 20. Entre os cangaceiros mais famosos, um deles foi praticamente considerado a “personificação do cangaço”, por liderar uma quadrilha que atuou por quase vinte anos em vários estados do Nordeste. Estamos falando de Virgulino Ferreira da Silva, o tão conhecido Lampião.

A sua fama veio do seu instinto violento e ousado, que o fizeram atacar até algumas cidades relativamente grandes, como Mossoró, no Rio Grande do Norte. Nesse caso específico, o ataque terminou em fracasso, pois a população revidou e repeliu o ataque. Já em Limoeiro do Norte, no estado do Ceará e em Queimadas, na Bahia, a situação foi diferente. Lampião e seu bando passaram alguns dias saqueando, impondo regras e matando descontroladamente os que tentavam resistir.

O fim do cangaço

Em 1938, o governo do estado de Alagoas começou a se empenhar para capturar Lampião e outros bandos que rondavam na região. Até que finalmente conseguiram.

No ano de 1940, Corisco, o Lugar-tenente de Lampião continuou a saquear até maio daquele mesmo ano, jurando vingança pela morte dos homens do seu bando. Mas em pouco tempo, foi morto por policiais.

Nessa época, o Brasil passava por várias transformações, influenciadas pela industrialização. A evolução dos meios de comunicação e transportes fez com que o sertão ficasse cada vez mais ligado à metrópoles como São Paulo e Rio de janeiro. Dessa forma, as várias circunstancias que deram origem ao cangaço foram desaparecendo aos poucos junto com ele.


Reportar erro