História do comunismo

Comunismo tem como característica uma sociedade sem distinções, conceito contrário ao capitalismo. Veja a história deste movimento


Se partirmos do ponto de vista histórico, o comunismo é uma ideologia que tem como fundamento a criação de uma sociedade sem distinções, onde não haja classes sociais e que todos sejam tratados da mesma maneira. Seguindo esse conceito, os meios de produção, tais como fábricas, fazendas, minas, entre outros, deixariam de ser privados passando a ser públicos. O estado não mais interferiria na vida da população.

História do comunismo

Imagem: Reprodução

Segundo vários autores, as primeiras sociedades humanas eram todas comunistas. Quando as tribos, por exemplo, ocupava um determinado espaço, território, os recursos naturais existentes eram de propriedade de todo o grupo, compartilhado entre eles para a sua sobrevivência. Só depois, quando a agricultura passou a ser desenvolvida, é que se passou a ver a terra como um objeto de desejo, de interesse, pois quem plantava achava que tinha mais direito sobre a terra do que aquele que colhia. A partir daí, passou-se de ver as coisas como algo comum a todos, se tornando uma propriedade privada.

As cidades começaram a crescer, e a mão de obra escrava fez com que esse sonho de viver uma sociedade comunista passasse a se tornar cada vez mais distante. O modo de produção baseou-se na mão de obra, uma característica típica de Grécia e Roma, por exemplo.

Com o feudalismo, tipicamente registrado na Idade Média,  a terra passou a pertencer a uma única pessoa, o chamado Senhor Feudal. Os servos trabalhavam cultivando-a apenas em troca de uma parte dessa produção.

Karl Marx e o comunismo

Mesmo já sendo algo desejado há muito tempo, a palavra comunismo só veio ser usada pela primeira vez na história em 1827, quando Robert Owen fez referência a socialistas e comunistas. Ele foi o primeiro que achou que o valor de uma mercadoria deveria vir agregado não ao valor em dinheiro que lhe é atribuído, mas sim, ao trabalho que é empregado em sua elaboração. Ele propôs que fosse criado um sistema de cooperativas, onde poderiam atacar violentamente o sistema capitalista. As expressões usadas por ele, socialismo e comunismo, ficaram sendo usadas como sinônimo durante todo o século XIX.

A Revolução Inglesa trouxe uma nova experiência que deu impulso para práticas comunistas.  Nesse período ganhou conhecimento um grupo chamado “diggers”, que significa “cavadores”. Eles eram responsáveis por  plantar em lotes públicos e depois fazer a distribuição dos alimentos entre a população inglesa. Estava sendo aplicado o preceito de comunismo, onde tudo é de todos.

Partindo para a análise econômica e política do comunismo, Karl Marx tratou de detalhar essa evolução entre as classes sociais. Ele fez ligações com o capitalismo, diferenciando os recursos e explicando a evolução da sociedade, conseguindo dar uma explanação mais clara que seus antecessores no que dizia respeito à acumulação de capital através da mais-valia.

Enquanto todos viam o comunismo como um ideal, Marx enxergava diferente, ele acreditava que esse era um movimento real, que estava se manifestando nos movimentos dos operários. Ele queria que a classe operária derrubasse a burguesia, suspendesse o poder do estado e conseguisse fazer um processo de estatização dos meios de produção. Ele defendia que o Estado deveria ser abolido, e que o correto era um “autogoverno dos produtores associados”.

A Revolução Russa

Um grande marco da história do comunismo aconteceu no ano de 1917, através da  Revolução Russa. Através dessa revolução foi criada a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), e também foi decretada “a propriedade privada da terra abolida para sempre”, determinando que a terra que até então pertencia aos aristocratas passaria a ser dos comitês de camponeses sem nenhuma compensação. Também foi feita a determinação de que os operários assumiriam o controle das fábricas. Em 21 de dezembro de 1991 chegava ao fim a URSS, com a criação da Comunidade dos Estados Independentes (CEI), uma organização formada por Rússia, Ucrânia, Bielo-Rússia, Cazaquistão e Uzbequistão.

Outros nomes que também marcaram a história do comunismo

  • Rosa Luxemburgo,
  • Antônio Gramsci e
  • Vladimir Lênin.

Reportar erro