História dos povos Hebreus

Por Camila Albuquerque

História dos hebreus

A História dos Hebreus é uma das que mais marcaram a cultura e religiões contemporâneas. | Imagem: Reprodução

Originalmente um pequeno grupo de pastores nômades (divididos em clãs ou tribos e eram chefiados pelos patriarcas), os Hebreus foram guiados por Abraão e se fixaram na Palestina – ou Canaã no fim do II milênio a.C., onde tornaram-se agricultores.

Política

Pode ser dividida em quatro períodos:

  1. A Era dos Patriarcas: Nesse primeiro período, o povo deveria obedecer às ordens dos patriarcas, chefes de família e magistrados com autoridade absoluta. Os mais conhecidos foram: Abraão (o primeiro, considerado o “pai dos hebreus”), Isaac, Jacó, José e Moisés (guiou os hebreus para fora do Egito, local onde foram perseguidos e escravizados pelos faraós, voltando para a Palestina).
  2. A Era dos Juízes: Após voltarem para a Palestina, os hebreus foram liderados por Josué. Depois de sua morte, as tribos eram governadas separadamente por anciãos. Mas em períodos de lutas, ficaram sob o poder dos juízes, que eram chefes políticos, militares e religiosos. Os principais juízes foram: Otoniel, Barac, Gedeão, Jefté, Sansão, Heli e Samuel.
  3. A Era dos Reis: O último Juiz, Samuel, nomeou Saul como rei. Os outros reis desse período foram: Davi, famoso por vencer Golias, que estabeleceu sua capital em Jerusalém; Salomão, filho de Davi, um bom administrador e descrito como sábio; Roboão não foi bem aceito pelas tribos do Norte, o que ocasionou na separação dos Hebreus (a “cisma”): as tribos do sul, que eram fiéis a Roboão, formaram o Reino de Judá, enquanto as tribos do Norte, lideradas por Jeroboão, formaram o Reino de Israel.
  4. A Era do Domínio Estrangeiro: A região que se tornou Reino de Israel foi tomada por assírios, que escravizaram grande parte dos judeus. O reino de Judá foi conquistado por babilônios, Nabucodonosor destruiu Jerusalém e manteve os judeus no Cativeiro Babilônico, de onde só foram libertados pelos persas, que dominaram os babilônicos. Voltaram para a Palestina (agora província do Império Persa), onde reconstruíram Jerusalém. Depois de um tempo, ocorreu a diáspora e os judeus se dispersaram pelo mundo.

Economia, Cultura e Religião

No começo, os Hebreus eram pastores nômades, os seus bens e tudo o que ganhavam pertenciam a todos do clã. Quando chegaram à Palestina, dedicaram-se à agricultura e desenvolveram o comércio. Depois de um tempo, surgiu a propriedade privada da terra e dos outros bens, o que causou as diferenças sociais. Logo, grandes proprietários e comerciantes já exploravam as minorias.

A cultura e a religião hebraica andaram juntas, pois o traço cultural mais forte dos hebreus era o judaísmo. Essa religião criada por Moisés, acredita em um único Deus (Jeová), na imortalidade da alma, no juízo final, recompensas e castigos após a morte e na vinda de um Messias – Curiosamente, eles não acreditavam que Jesus Cristo era esse Messias. Pregava uma conduta moral orientada pela justiça, a caridade e o amor ao próximo.