Importância do contexto na redação

O contexto é o conjunto de elementos que norteiam o sentido e a situação em que ele foi escrito. É o que coloca o leitor a par do que se quer falar


Primeiramente, devemos pensar no texto como um código. Ser capaz de ler – e entender – é justamente ter a possibilidade de decodificar aquilo que está escrito.

Mas para termos a compreensão desse texto, precisamos conhecer alguns fatores, como a época que foi escrito ou a finalidade deste.

Saber juntar estes elementos que norteiam o leitor é importantíssimo para se entender a ideia central da redação, ou seja, o seu contexto.

Do latim, contextu, significa colocar alguém a par de alguma coisa ou algo. É uma junção de fatores. O contexto está exatamente entre o texto e a situação.

importancia-do-contexto-na-redacao

Foto: Pixabay

É pautado sob as circunstâncias, o lugar, o tempo, a cultura do emissor e do receptor para a construção da mensagem.

Veja a diferença que esses elementos produzem em dois discursos diferentes, ambos sobre igualdade:

  1. “ (…) Posso dizer com orgulho, companheiros das SA e SS, que se todo o povo alemão fosse tocado pelo espírito de que estamos e estais possuídos, a Alemanha seria indestrutível. Mesmo sem armas, a Alemanha representaria uma força inaudita com esta vontade interior que tem a têmpera do aço. É bem verdade que esta igualdade realizada em vós só o foi à custa da liberdade de que os outros falavam. Adotamos, também, o princípio de chefia, a concepção de autoridade. Foi esse um pesado sacrifício num momento em que todo o povo corria atrás da ilusão de democracia e parlamentarismo, em que milhões de pessoas acreditavam que a maioria era a fonte de uma decisão correta (…)” – Adolf Hitler, 8 de abril de 1933.
  2. “(…) Tenho um sonho de que um dia esta nação se erguerá e corresponderá em realidade o verdadeiro significado de seu credo: ‘Consideramos essas verdades manifestas: que todos os homens são criados iguais’. Tenho um sonho de que um dia, nas colinas vermelhas da Geórgia, os filhos de ex-escravos e os filhos de ex-donos de escravos poderão sentar-se juntos à mesa da irmandade. (…) Tenho um sonho de que meus quatro filhos viverão um dia em uma nação onde não serão julgados pela cor de sua pele, mas pelo teor de seu caráter. Tenho um sonho hoje. (…) E quando isso acontecer, quando deixarmos a liberdade ecoar, quando a deixarmos ressoar em cada vila e vilarejo, em cada Estado e cada cidade, poderemos trazer para mais perto o dia que todos os filhos de Deus, negros e brancos, judeus e gentios, protestantes e católicos, poderão se dar as mãos e cantar (…)” – Martin Luther King, 28 de agosto de 1963.

Nesses dois exemplos, o teor é o mesmo: igualdade. Mas o contexto é diferente em ambos. Enquanto Hitler falava da igualdade como raça ariana, Martin Luther King falava de igualdade entre todos os povos, de todas as etnias.

Contexto situacional

Para ter um bom entendimento e, até mesmo, para produzir boas redações, é necessário saber em que momento e sob que situação o texto foi escrito. É exatamente a diferença dos dois discursos vistos anteriormente.

Multiplicidade de sentidos

O contexto pode apresentar sentidos diferentes. Observe essa frase:

“Que sorte a minha!”

Assim que se lê, provavelmente pensa-se em alguém muito sortudo, que ganhou na loteria ou conseguiu algo que queria muito. Mas pode ter outro sentido.

Por exemplo, enquanto caminhava, um carro passou em uma poça de água e espirrou nessa pessoa. Revoltada, ela exclamou: “Que sorte a minha!”. Nesse caso, a frase sofre alteração de sentido, passa a ser depreciativa.

E é assim que o contexto trabalha. Ele norteia e dá veracidade a todo o texto, fazendo com que o receptor entenda o que você realmente quer dizer.


Reportar erro