Intervencionismo

Existem duas referências para o termo intervencionismo. A primeira refere-se à prática de intromissões ideológicas durante a Guerra Fria, e a segunda à forma…


Existem duas referências para o termo intervencionismo. A primeira refere-se à prática de intromissões ideológicas durante a Guerra Fria, e a segunda à forma de interferência do governo na economia do país.

Do latim imperial interventio, ónis, interventum, interveníre: estar entre, entremeter-se, meter-se de perneio, o termo intervenção passa a ideia negativa de ser uma intromissão. No entanto, esse termo é aplicado normalmente para referir-se ao intervencionismo feito de forma excessiva e inaceitável por parte do governo.

Intervencionismo

Foto: Reprodução

Intervencionismo  na Guerra Fria

Quando falamos no intervencionismo relacionado à Guerra Fria, é necessário entender o que foi essa guerra. O conflito ideológico dividiu o mundo em capitalista e comunista após a segunda guerra mundial. Os vencedores desse conflito que acabou envolvendo países de todo o mundo foram os Estados Unidos e a União Soviética. Estes eram duas potências, sendo que a primeira tinha ideais capitalistas e a segunda ideais socialistas. Fortes para passar por um enfrentamento em guerra – pois poderia ocasionar na destruição de ambos os países –, o combate passou a ser ideológico buscando a expansão da área de influência de seus ideais. Com o Intervencionismo, as duas potências, durante a Guerra Fria, mantinham seus interesses em voga, assegurando o poderio de suas ideologias ao redor do mundo.

Intervencionismo  na economia

Na economia, o intervencionismo trata da interferência do Estado na economia de um país. A prática era comum nas monarquias absolutistas que comandavam toda a economia de seus territórios. No entanto, isso começou a ser questionado pelas ideias liberais no século XVII, quando o liberalismo tomou forma. Este tratava de uma ideologia que defendia que a economia deveria ser livre e se desenvolver sem a interferência do Estado. Isso com o tempo comprovou-se ser inviável, de forma que a intromissão tornou-se menos intensa, mas ainda presente.

O intervencionismo foi a prática que salvou o capitalismo depois da Crise de 1929 e, mesmo assim, algum tempo depois, voltou-se a defender e desejar a liberdade da economia na Inglaterra, mas comprovou-se novamente que o intervencionismo era necessário.

Reconhecido juridicamente em alguns países, inclusive no Brasil, o intervencionismo está presente de forma que o Governo Federal deve participar das decisões de estados, e o governo dos estados deve participar das decisões dos municípios.


Reportar erro