Invasões holandesas no Brasil

Bahia e Pernambuco foram os estados do Brasil que sofreram as invasões holandesas que ocorreram nos anos de 1624 e 1630, respectivamente


Fatos que levaram a invasão holandesa

No período da dinastia de Felipe II, que durou entre os anos de 1580 e 1640, Portugal se encontrava sobre domínio da Espanha. Os espanhóis tinham o interesse de fazer com que todos os países da União Ibérica fossem unificados em uma só nação, tendo inclusive o desejo de fazer com que Portugal fosse anexado a este território.

Invasões holandesas no Brasil

Maurício de Nassau, líder holandês no estado de Pernambuco durante a segunda invasão holandesa. | Imagem: Reprodução

Portugal ainda não tinha uma colônia efetiva no Brasil, e tentava de todas as formas resistir a pressão espanhola, buscando parceiros que pudessem ajudar nessa tentativa de se livrar desses desejos espanhóis. A Holanda por sua vez também se encontrava em conflito com a Espanha, tentando manter a independência dos ibéricos nos Países Baixos. Tendo ambos o mesmo objetivo, portugueses e holandeses firmaram um pacto comercial que visava controlar toda a produção de açúcar do recém descoberto território português, o Brasil. Os holandeses aceitaram prontamente, pois viram ali uma ótima oportunidade de negócio.

A Espanha por sua vez, ao saber de tal acordo, firmou um rígido controle para a colônia portuguesa, tentando impedir de todas as formas que os holandeses conseguissem chegar em território brasileiro, que os ibéricos afirmavam ser parte de suas colônias. No ano de 1602 a Holanda criou a Companhia das Índias Orientais, que empossavam todos os domínios coloniais dos portugueses. Como o empreendimento rendeu muito lucro para os holandeses, em 1621 eles decidiram criar a Companhia das Índias Ocidentais, a fim de controlar a produção de açúcar no Brasil e monopolizar o tráfico negreiro da África e América.

As invasões holandesas

Em 1624 o Brasil foi invadido pela primeira vez pelos holandeses, que aportaram na cidade de Salvador com 26 navios que carregavam juntos 500 canhões. Na época a cidade de Salvador era o centro administrativo do país, porém eles só chegaram a passar um ano em terrar brasileiras, pois no ano seguinte os espanhóis enviaram cerca de 14 mil homens para combatê-los.

Após a expulsão, os holandeses se reorganizaram e em 1630 invadiram novamente o território brasileiro, porém desta vez eles não o fizeram por Salvador, mas sim por Pernambuco, conseguindo dominar as cidades de Recife e Olinda. Quando já estavam com a região sobre controle, em 1637 eles nomearam o conde Maurício de Nassau para liderar o que a partir dali seria conhecido como Brasil-holandês.

A administração de Nassau foi algo que trouxe muitas modernidades para a região. Ele buscou firmar parceria com os senhores de engenho, dando-lhes apoio e oferecendo recursos financeiros para que pudessem adquirir escravos e equipamentos necessários para que pudessem ampliar a produção do açúcar, além disso, ele foi responsável pelo processo de urbanização que aconteceu nas cidades de Recife e Olinda, o que contribuiu para:

  • Construção de asilos;
  • Construção de  hospitais;
  • Ladrilhos nas ruas da região.

A expulsão dos holandeses

Porém, tanta modernidade custava altos impostos, que os holandeses cobravam e os senhores de engenho do nordeste já se mostravam insatisfeitos. Por volta do ano de 1640 os portugueses conseguiram enfim se livrar da política expansionista da Espanha. Agora não era tão necessário o trabalho da Holanda em território brasileiro, pois a partir deste momento Portugal tinha o interesse de retomar o domínio da colônia brasileira, e assim como os senhores de engenho, desejam expulsar os holandeses do país.

Nassau fez altos investimentos, o que causou certa insatisfação por parte da Companhia das Índias. No ano de 1644 teve fim o governo de Maurício de Nassau, principalmente pelos gastos excessivos que vinham causando conflito entre ele e seus superiores.

Após a partida de Maurício de Nassau os conflitos entre os brasileiros e os holandeses conseguiram se intensificar cada vez mais. Entre as batalhas existentes podemos citar a Batalha dos Guararapes e Campina do Taborda, que contaram com o apoio dos senhores de engenho, ex escravos e tribos indígenas, que tinham o apoio de Portugal e Inglaterra. Essas batalhas tiveram uma grande importância na organização do primeiro Exército nacional. No ano de 1654 aconteceria a Insurreição Pernambucana, que expulsaria de vez os holandeses do nosso território.

Com a expulsão dos holandeses, que passaram a dominar a região das Antilhas, coube aos portugueses buscar explorar outros campos para estabilizar a economia do país, já que agora tinham um forte concorrente na comercialização do açúcar. Esse processo de buscar novas formas de exploração deu início ao processo de extração de ouro, prata e minério na região de Minas Gerais.


Reportar erro