Biografia de Johannes Gutenberg

A invenção de Johannes Gutenberg teve um impacto enorme no século XV e surtiu em uma revolução cultural, permitindo um maior alcance de conhecimento


Vivemos bombardeados de tecnologia. Os celulares, por exemplo, que antes só realizavam ligações, hoje tiram foto, filmam e conseguem realizar comunicações visuais entre pessoas de lugares diferentes do mundo. Todas essa inovações são surpreendentes e, comparada a elas, podemos dizer que a invenção de Johannes Gutenberg teve um impacto enorme no século XV, a qual chamamos de imprensa móvel.

A história sem a imprensa móvel

Todo o material publicado durante boa parte do século XV era feito a mão. Assim, passava muito tempo para que um livro pudesse ser publicado e, mesmo assim, suas cópias eram restritas. Da mesma forma o conhecimento, que só era produzido para alguns que tinham como pagar os altos valores nos livros. A invenção de Gutenberg impulsionou uma incrível transformação nos âmbitos da religião, da política e das artes.

Vida de Johannes Gutenberg

Nascido em Mainz, na Alemanha, o inventor passou toda sua infância pela região, onde teve contato com gravadores de moeda e ourives. Observou que suas técnicas eram elaboradas por meio da punção, fundição de metais e confecções. Essa análise de outro trabalho serviria mais tarde para que ele pudesse desenvolver a imprensa móvel.

Por volta de 1430, saiu da cidade natal e foi em busca de novos métodos de impressão em Estrasburgo. Nessa cidade, ele conseguiu aprofundar ainda mais seus conhecimentos e, em 1450, voltou para Mainz, onde se uniu com Johannes Fust formando, assim, uma parceria no ramo da impressão. Essa sociedade resultou na primeira imprensa móvel da história.

Johannes Gutenberg

Foto: Reprodução/ internet

Como funcionava a imprensa móvel?

Esse método foi tão bem elaborado que quase não sofreu mudanças até o século XX. A imprensa de Gutenberg era formada por moldes de metal para cada caractere. Ele despejou metal em cada um e esperou que esfriasse. Desta forma, o inventor obteve letras metálicas, e assim, poderia formar palavras, frases e parágrafos inteiros. Ainda criou também uma espécie de impressora, chamada na época de prelo, a qual permitia que várias cópias fossem feitas de forma mais rápida que manualmente.

A primeira obra e também a mais conhecida foi uma bíblia de 42 linhas, que na sua primeira tiragem foram confeccionados 120 exemplares. O inventor ficou tão famoso pela sua obra, que esse livro ficou conhecido como a Bíblia de Gutenberg.

Rompimento da sociedade e carreira solo para Gutenberg

A união entre o inventor e Johannes Fust foi rompida tempos depois, devido a alguns desacordos. Gutenberg, a princípio, ficou sem a invenção, a oficina e os mestres impressores. Mas, por pouco tempo. Logo se recuperou e fez seu próprio espaço de trabalho e continuou imprimindo até o dia de sua morte, em 1468.

Mudanças sociais promovidas pela imprensa móvel

A invenção de Gutenberg surtiu em uma revolução cultural. Antes dela, a maioria das pessoas não tinham acesso à leitura e aos livros, essa realidade foi se transformando aos poucos e o saber escrito deixou de ser um privilégio da elite da época e expandiu para outras camadas da população. Outra mudança se deu ao fato de que a tradição oral era predominante e depois da invenção tornou-se escrita. Os jornais e publicações impressas foram, portanto, aumentando seu alcance.


Reportar erro