Mata de araucárias

Encontradas no Brasil nas regiões sul e pontos de relevo mais elevados na região sudeste, as matas de araucária, conhecidas cientificamente como Floresta Ombrófila…


Encontradas no Brasil nas regiões sul e pontos de relevo mais elevados na região sudeste, as matas de araucária, conhecidas cientificamente como Floresta Ombrófila Mista, ou ainda popularmente como Pinheiros-do-Paraná, contam com pelo menos dezenove espécies desse tipo de vegetação. Treze dessas, no entanto, são endêmicas, ou seja, existem apenas em um lugar específico. Além do Brasil, essa mata pode ser encontrada na Ilha Norfolk, no sudeste da Austrália, em Nova Guiné, na Argentina e no Chile.

Mata de araucárias

Foto: Reprodução

A ameaça de extinção

Da família das coníferas, a araucária é um vegetal que pode ser cultivado ainda para fins ornamentais, em miniaturas. Antigamente, a araucária, de nome científico Araucaria angustifólia, era encontrada em abundância e, atualmente, no Brasil, existem apenas algumas áreas restritas e preservadas.

Atualmente a mata sofre ameaças de extinção, sendo que apenas 1,2% de sua cobertura original encontra-se preservada, sendo que apenas 0,22%, equivalente a 40.774 hectares, encontram-se sob a proteção das UC – Unidades de Conservação -, e isso coloca em risco ainda maior de extinção.

A exploração

Um dos principais fatores que contribuíram para a sua condição de quase extinta, foi a sua característica de “alelopatia”, ou seja, a tendência que as plantas desse tipo têm de inibir o crescimento de outras próximas a ela. Isso faz com que sejam de extração mais fácil.

Além disso, ela encontra-se em regiões de solo muito fértil – conhecida como terra-roxa – de origem vulcânica que é altamente produtiva e raríssima – apenas 1% do território nacional. Isso fez com que as pessoas preferissem desmatar para plantar monoculturas e pastoreio.

Características

A mata de araucárias desenvolve-se bem em regiões onde predomina o clima subtropical com verões quentes e invernos rigorosos, além de índices pluviométricos relativamente altos, mas bem distribuídos durante o ano. Pertencente à família das coníferas, a araucária não produz frutos e em sua floresta são comuns os animais como os tucanos, beija-flores, saíras, gaturamos, jiboias, sanhaço e mais de 20 espécies de primatas, entre outros.

A altitude dessas árvores varia entre 25 e 50 metros, e os troncos podem apresentar 2 metros de espessura. Os galhos envolvem todo o tronco central e geram sementes conhecidas como pinhão, que são ingeridas nas regiões onde a árvore cresce.

A composição da paisagem onde estão localizadas as araucárias é marcada por um espaçamento entre as árvores e a ausência de vegetais de pequeno porte. As florestas são ralas e suas flores aparecem de forma restrita, provenientes de baixas temperaturas.


Reportar erro