Materialismo dialético

Chamamos de dialética a arte do diálogo, ou seja, uma discussão em que existam contraposições de ideias sendo que uma tese é defendida e…


Chamamos de dialética a arte do diálogo, ou seja, uma discussão em que existam contraposições de ideias sendo que uma tese é defendida e contradita logo em seguida, como se fosse um debate. Ao mesmo tempo, pode ser considerada uma discussão em que é possível divisar e defender os conceitos envolvidos com clareza.

Essa prática teve início durante a Grécia antiga, mas existem controvérsias quanto ao fundador do conceito. Para Platão, a dialética nada mais é do que o caminho único para alcançar o verdadeiro conhecimento, pois com o processo dialético de questionamentos e respostas, torna-se possível começar a busca pela verdade. Já para Marx, que será explicado a seguir, afirmava que as leis do pensamento correspondiam às leis da realidade, de forma que a dialética não é apenas um pensamento, mas o pensamento e a realidade unidas. Além disso, é uma contradição, a unidade delas, e, de acordo com Henri Lefebvre, “a dialética é ciência que mostra como as contradições podem ser concretamente idênticas, como passam uma na outra, mostrando também porque a razão não deve tomar essas contradições como coisas mortas, petrificadas, mas como coisas vivas, móveis, lutando uma contra a outra em e através de sua luta”.

Materialismo dialético

Foto: Reprodução

Qual a relação entre o materialismo e a dialética?

Chamamos de materialismo dialético a concepção da filosofia que age na defesa do ambiente, do organismo e dos fenômenos físicos que modelam os animais e seres humanos, ou ainda sua sociedade e sua cultura. Para explicar melhor: a matéria está em uma relação dialética com seu psicológico e com seu social, se opondo ao idealismo. Este último acredita que o ambiente e a sociedade vivem como criações divinas e de acordo com as vontades das divindades ou ainda por outra força sobrenatural.

Concepção filosófica do mundo

Durante a efetivação da sociedade burguesa e a implantação do capitalismo industrial, destacaram-se dois pensadores que elaboraram uma nova concepção filosófica do mundo. Karl Marx e Friedrich Engels criaram o materialismo histórico e dialético e, ao criticarem a sociedade em que viviam, apresentavam o socialismo científico com uma proposta para a transformação.

Materialismo dialético

O materialismo dialético tem como proposta a disputa sem ser baseada em coletividade, mas sim em indivíduos e seus interesses, assim como a relação dessas faz com que os modelos atuais de sociedade, produção, pensamento e poderes econômicos e políticos se destruam de forma dialética.

Essa é a teoria que defende que os fatores materiais como economia, geografia, biologia e desenvolvimento científico são a definição da sociedade, e que se opões a ideia de que forças sobrenaturais definem a sociedade. Marx, peculiarmente, se opôs ao controle religioso do Estado e defendeu que o poder deveria estar na mão das classes trabalhadoras.

Para Karl Marx, a sociedade é estruturada em dois níveis: o primeiro é a infraestrutura. Essa constitui a base fundamental da economia, sendo determinante dentro dessa concepção. E o segundo nível é a político-ideológica, também chamada de superestrutura. Dentro dela, temos a estrutura do Estado e do direito – jurídica-política -, e as formas de consciência social como religião, filosofia, arte, leis, que é a estrutura ideológica.


Reportar erro