Metrópoles do Brasil

As metrópoles do Brasil são de grande importância para cidades vizinhas e regiões brasileiras, por possuírem boa infraestrutura e serviços


O Brasil é um país em crescimento econômico e estrutural, o que faz com que suas regiões e cidades acompanhem diariamente esse processo. As cidades crescem, aumentando o número de serviços disponíveis não só para os habitantes locais como para aqueles vindos de cidades próximas ou até mesmo de outras regiões, passando assim a exercer uma hierarquia sobre as demais quando detém determinados serviços, e recebendo assim o nome de metrópole. Para ser uma metrópole a cidade precisa alcançar certo patamar de importância no que diz respeito a serviços como bancos, universidades, saúde, educação, tornando-se uma referência em sua região e tendo certo número de cidades dependentes de tais serviços.

Metrópoles do Brasil

Rio de Janeiro e São Paulo são as principais metrópoles do Brasil, por serem referência global quando se trata de finanças, centros de saúde e turismo. | Foto: Reprodução

Tipos de metrópoles

O Brasil possui atualmente, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), doze metrópoles espalhadas por suas cinco regiões. Elas podem ser classificadas em três tipos de acordo com a área em que abrangem seus serviços e hierarquia. São eles: Metrópoles Regionais, Metrópoles Nacionais e Metrópoles Globais.

  • Metrópoles regionais: Manaus (AM), Goiânia (GO) e Belém (PA). Essas três metrópoles abrangem seus serviços, influenciam, apenas cidades próximas, em suas regiões, que de certa forma dependem dos serviços prestados por elas que fica centralizado nas mesmas.
  • Metrópoles nacionais: Curitiba (PR), Salvador (BA), Recife (PE), Fortaleza (CE), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF) e Porto Alegre (RS). Como sugere o nome, diferente das metrópoles regionais, as nacionais exercem influência sobre todo o território nacional por terem estruturas mais complexas e bem trabalhadas e uma maior capacidade para atender a demanda que chega de outras regiões do Brasil. São muitas vezes referência no que se diz respeito a eventos, centros financeiros, saúde e educação.
  • Metrópoles globais: São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ). As metrópoles Rio de Janeiro e São Paulo abrangeram seus níveis de influência a modo que chegassem a se tornar referência no âmbito global para serviços financeiros, centros de saúde, turismo entre outros. Elas abrigam filiais de empresas internacionais e sedes de empresas globais, as maiores universidades e hospitais do país e seus serviços atingem as regiões ao redor de todo o país, as incluindo nos conceitos de Metrópoles Regionais e Nacionais. São Paulo sozinha corresponde por 18 % dos atendimentos referentes ao serviço de educação em todo o país e em 21 % no que diz respeito a saúde, atendendo populações que vêm de outras metrópoles do país em busca desses serviços.

Regiões metropolitanas do Brasil

As áreas dependentes de certos serviços oferecidos pelas metrópoles são denominadas “regiões metropolitanas.”. O Brasil possui atualmente 57 regiões metropolitanas espalhadas pelo seu território, com destaque para as 12 de primeiro nível, ligadas às metrópoles citadas acima, que são praticamente as mesmas de cerca de 40 anos atrás, exceto Brasília e Manaus. Essas regiões mantém o quesito de dependência dos serviços configurando assim a hierarquia entre as cidades que vemos nos dias de hoje.

As metrópoles, por seu alto desenvolvimento em serviços de educação saúde, financeiro e estrutural são muito populosas e essa população vem aumentando devido aos processos migratórios existentes no Brasil como o êxodo rural, por exemplo. Habitantes de outras cidades e regiões dirigem-se às metrópoles em busca de serviços e melhores condições de vida.


Reportar erro