Morfemas – Exemplos e tipos

Por Gabriely Araujo

A língua portuguesa possui inúmeras peculiaridades que merecem bastante atenção na hora de estudá-la mais a fundo, por isso é sempre bom revisar aqueles assuntos delicados que sempre acabam pegando muita gente na hora da prova ou mesmo do vestibular. Os morfemas são, sem dúvida, um desses assuntos e seu conhecimento é essencial para que se possa entender o processo pelo qual as palavras da nossa língua são formadas.

Morfemas - Exemplos e tipos

Imagem: Reprodução

O que é um morfema?

Morfema é a menor partícula com significado existente de uma palavra, e que se reunida a um radical lhe confere um sentido diferente do anterior. Os morfemas podem ser classificados em dois grupos: Morfemas Gramaticais e Morfemas Lexicais.

Os morfemas gramaticais são aqueles que possuem um significado interno à sua estrutura, são os afixos, preposições, artigos, conjunções e indicam gênero, número e tempo verbal da palavra. Por exemplo: Correr, Corrida, Corrimão. O morfema lexical Cor é invariável enquanto os morfemas gramaticais variam continuamente.

Os morfemas lexicais são aqueles aos quais recorrem todas as derivações da palavra. Por exemplo: Correr, Corrida, Corrimão. O morfema lexical destes vocábulos é Cor.

Tipos

Ainda podemos classificar os morfemas de uma palavra em seis tipos, são: Desinência, Raiz, Radical, Afixo, Tema e Vogal Temática. Vejamos cada um deles mais a fundo.

Desinência – A função da desinência é designar as variações de número, tempo e modo para verbos e para nomes as variações de número e gênero.

Exemplo de morfemaRadical – Radical é a parte que se repete em quase todas as palavras de uma mesma família, age como segmento lexical de uma palavra.

Raiz – A raiz cumpre a função literal de seu nome, ela serve como base para a formação de diversas palavras, pois contém o núcleo significativo das mesmas. Mesmo com a mudança do radical percebe-se a semelhança entre palavras de uma mesma família por causa de seu significado.

Afixo – Os afixos vêm do processo de formação da palavra, se ela recebe uma partícula em seu início, meio ou fim ela recebe então um afixo que pode possuir diferentes nomenclaturas. São elas: Prefixo (antes da palavra), Sufixo (depois da palavra), Infixo (no meio da palavra).

Vogal Temática – A vogal temática é o que possibilita a palavra a receber derivações e o que caracteriza verbos e nomes que não são flexionados. Ela pode ser dividida em vogal temática nominal: A / E / O. Exemplos: CadernO, AgendA, DoentE. E a vogal temática verbal: A / E / I. Para primeira, segunda e terceira conjugação respectivamente. AndAr, BebEr, SentIr.

Tema – Ao juntarmos a vogal temática ao radical temos, então, a composição do tema da palavra.