Museu Britânico

Sendo uma das primeiras instituições dessa categoria na Europa, este museu foi inaugurado em 1759. A primeira doação recebida foi feita por Sir Hans Sloane


O mais importante museu da cidade de Londres e um dos mais prestigiosos do mundo chama-se Museu Britânico, local que abriga um acervo gigante sobre a arte antiga do mundo. Nele está contido boa parte da história dos cinco principais continentes. Podem ser encontrados livros, peças arqueológicas, etnográficas e de arte. Além de objetos que refletem conflitos e momentos que marcaram a história de diversos países.

Abertura do Museu Britânico

Sendo uma das primeiras instituições dessa categoria na Europa, o Museu Britânico foi inaugurado em 15 de janeiro de 1759. A primeira doação recebida pelo órgão foram sete mil manuscritos, 40 mil livros, antiguidades de nações como Egito, Grécia, Roma e de regiões como o Oriente Médio e o Extremo Oriente. Além de uma coleção de ciências naturais e medicinas e quadros de mestres da pintura universal. Todo esse material foi doação do médico naturalista britânico Sir Hans Slone, em 1753.

Logo no início foi aberto ao público em Montagu House, uma mansão do século XVI. E desde então, o acervo do museu tem recebido diversas doações. São tantas obras e peças que, atualmente, nem todos estão expostos ao público por falta de espaço.

Museu Britânico

Foto: Pixabay

Principais contribuições para o acervo do museu

Além da doação feita pelo médico Slone, outras também foram efetuadas para ajudar a incrementar o poder histórico do Museu Britânico. Entre essas benfeitorias, pode-se citar a coleção de manuscritos medievais de Sir Robert Cotton, os manuscritos da coleção do Conde Oxford, feita pelo antiquário Robert Harley.

Tempos depois, em 1782, a instituição comprou as obras e os objetos do embaixador britânico em Nápoles, o Sir William Hamilton. Já em 1801, a França venceu o Egito no conflito que ficou conhecido como Campanha do Egito. Essa vitória permitiu a aquisição de muitas antiguidades egípcias, entre elas a famosa Pedra Roseta.

Outras grandes doações fizeram parte da história do museu. A do conde Elgin, em 1816, onde foram entregues a instituição grande parte dos frisos, métopas e dos frontões do Paternon ateniensee. E a do rei George IV, em 1823, o qual doou a biblioteca de seu pai. Essa última foi a responsável pela transferência do museu para uma nova sede.

O Museu Britânico atualmente

Ao longo de todos esses anos, a instituição histórica do Reino Unido já passou por diversas ampliações e reformas. A última delas foi inaugurada em dezembro de 2000, pela Rainha Elizabeth II. Em toda a sua história, o museu ficou aberto ao público, exceto em dois momentos: durante as duas grandes guerras mundiais.

Em 2012 ficou entre os três museus mais visitados do mundo. A entrada é gratuita, bem como o acesso aos livros que lá estão expostos. Porém, em algumas exposições temporárias o acesso passa a ser pago.


Reportar erro