O Acre, a Bolívia e o Tratado de Petrópolis

O Acre pertencia à Bolívia até o começo do século XX. Saiba como ele passou a ser parte do território brasileiro através do Tratado de Petrópolis


Poucos sabem, mas o estado do Acre já pertenceu à nossa vizinha latino-americana, Bolívia. E essa situação só mudou depois que um acordo entre o Brasil e a Bolívia foi feito e foi assinado um tratado que ficou conhecido depois como O Tratado de Petrópolis.

História

O Acre era propriedade da Bolívia desde o ano de 1750, mas ninguém habitava o local além de índios não civilizados. No entanto, quando foi descoberto que a área possuía um número muito grande de árvores seringueiras, de onde pode-se extrair o látex, muitos brasileiros, principalmente nordestinos, começaram a se mudar para lá, a fim de acumular alguma riqueza. Isso durou algum tempo, até que em 1898 a Bolívia enviou uma missão de colonização ao Acre. Missão essa que não foi muito bem recebida pelos brasileiros que já estavam em grande número e estavam instalados lá há muitos anos.

As revoltas

Os brasileiros da localidade então organizaram uma revolta que estourou um ano depois e contou com o apoio do estado do Amazonas e proclamou a região como sendo uma república no dia 14 de julho de 1899.

Nessa época o Governo do Brasil ainda percebia o Acre como sendo território boliviano, por isso uma tropa do exército brasileiro foi enviada até o local no dia 15 de março de 1900, para acalmar os ânimos e acabar com a ‘república’.

Mapa do Tratado de Petrópolis

Mapa do Tratado de Petrópolis | Imagem: Reprodução

A Bolívia organizou uma missão militar na região, mas a ocupação foi repelida pelos brasileiros da região que permaneciam lutando com o apoio do Governador do Amazonas na época, Silvério Neri. Os brasileiros proclamaram pela segunda vez o estado como sendo uma república em novembro de 1900, e pouco mais de um mês depois uma tropa militar boliviana dissolvia tudo.

Em 1902 se iniciou a Revolução Acreana, onde os brasileiros iniciaram uma revolução comandados por um militar brasileiro chamado Plácido de Castro, que foi mandado pelo Estado do Amazonas, depois que o Presidente do Brasil, Rodrigues Alves e seu Ministro do Exterior, Barão do Rio Branco, manifestaram apoio ao movimento depois de serem pressionados pela opinião pública no Rio de Janeiro, que não aceitava que brasileiros fossem expulsos palas armas dos bolivianos do lugar onde ‘ganhavam a vida’.

O Tratado de Petrópolis

O tratado foi assinado em 17 de novembro de 1903, no Rio de Janeiro, na cidade de Petrópolis, cidade onde as delegações estrangeiras se encontravam.

Estrada de ferro Madeira-Mamoré

Estrada de ferro Madeira-Mamoré | Foto: Reprodução

No tratado ficou decidido que o Acre seria integrado no território brasileiro e que o Brasil pagaria uma indenização a Bolívia no valor de 2 milhões de libras esterlinas, que entregaria algumas áreas da fronteira do Mato Grosso e que se responsabilizaria pela construção de uma estrada de ferro que permitisse uma saída da Bolívia para o oceano Atlântico – essa estrada foi construída e hoje é chamada de ‘Estrada de ferro Madeira-Mamoré’,e tem 400 km de extensão.


Reportar erro