O Facebook: a grande sacada de Mark Zuckerberg

Mark Zuckerberg é um jovem americano que criou o Facebook, rede social de sucesso que até janeiro de 2015 tinha 1,4 bilhão de usuários. Saiba mais


Você já assistiu ao filme “A rede social”? Essa obra cinematográfica é baseada na história de Mark Zuckerberg, o jovem americano que criou o Facebook. O sucesso da empresa é tão grande que até janeiro de 2015 foram contabilizados pela instituição 1,4 bilhão de usuários nessa rede de comunicação global. Mas, você -que provavelmente também tem uma conta neste site- sabe como ele foi criado?

2004: o começo de tudo

Segundo descreve o livro “365 Dias que Mudaram o Mundo”, o estudante de uma das mais famosas faculdades dos Estados Unidos, a Universidade de Harvard, Mark Zuckerberg, resolveu criar um serviço gratuito de redes sociais na web para os alunos da instituição. A ideia era fazer uma versão on-line das publicações que as universidades americanas fazem no começo do ano acadêmico, com fotografias e nome dos estudantes, chamada de facebooks. Com a proposta do jovem programador, os estudantes teriam a oportunidade de se conhecerem mutuamente.

O sucesso era tão grande que com um mês de funcionamento, o Facebook já tinha o cadastro de metade dos alunos de Harvard. Posteriormente, o site foi expandindo para outras universidades prestigiosas dos Estados Unidos. E com o um ano depois do lançamento da rede social, o “Face” já contava com mais de 1 milhão de usuários e um escritório em Palo Alto, na Califórnia. Nesta instância, o projeto já tinha recebido investimentos financeiros de Peter Thiel, o cofundador do Pay-Pal.

O Facebook: a grande sacada de Mark Zuckerberg

Foto: Pixabay

Ainda em 2005, incorporou mais de 25 mil escolas de ensino médio e 2 mil faculdades, contando as dos Estados Unidos e do exterior. E com isso, os números só cresciam, os usuários nesse período chegavam aos 11 milhões.

2006 a 2008: Facebook é aberto ao público

O ano de 2006 serviu para que o Facebook introduzisse mais universidades estrangeiras, desenvolvesse novos recursos em sua plataforma como as Notas do Facebook, e importasse serviços de blogs, como Xanga, LiveJournal e Blogger. Além disso, foi nesse mesmo período que o site foi aberto ao público, permitindo que qualquer um que tivesse uma conta de e-mail pudesse fazer parte da sua comunidade. Ainda em 2006, a Business Week publicou que Zuckerberg havia recusado uma oferta de 750 milhões de dólares pela aquisição do site.

O Facebook, em 2007, chegou a liderar a lista de sites orientados a estudantes de nível superior, anunciou sua primeira aquisição , a start-up Parakey , Inc., saiu na capa da famosa revista Newsweek e se integrou com o site de compartilhamento do vídeos YouTube. Criou também a Loja de Aplicativos do Facebook e desenvolveu acordos comerciais com o iTunes, recebendo um investimento de capital adicional de 25 milhões de dólares.

No mesmo ano, 1,6% das suas ações foram vendidas à Microsoft por 240 milhões de dólares. Já em 2008, com a intenção de tornar o Facebook em um sistema operacional social da internet, Zuckerberg lançou sua versão em francês, alemão, espanhol e português.

A rede social chamada Facebook

Nessa rede social, a informação é filtrada pelos amigos. Não funciona como um modelo de busca, mas sim de conhecer pessoas e compartilhar informações, fotos, vídeos, ideias etc. Quase qualquer pessoa com conhecimentos básicos de informática e que tenha acesso à internet pode usufruir do Facebook e ao mundo de comunidades virtuais.

Atualmente, o Facebook já incorporou outras redes sociais como Instagram e WhatsApp. Entretanto, apesar do sucesso no mundo todo, o Facebook é proibido no Irã, na Birmânia e no Butão.


Reportar erro