O ‘mistério’ por trás do arco circunzenital ou ‘arco-íris invertido’

Os arcos circunzenital, integrantes da “família” halos, são gerados a partir da refração da luz por meio de cristais de gelo em nuvens


É muito comum, vez por outra, surgir no céu o que algumas pessoas classificam como “arco-íris investido”. O mesmo sempre aparece com pontas apontadas para cima, com forma semelhante a um “sorriso”. Há ainda quem chame tal efeito de “arco-íris de ponta-cabeça”.

Mas, nada melhor do que desmistificar essa teoria de “arco-íris”, uma vez que tal fenômeno não é gerado a partir da refração da luz por meio da gotas de chuva ou neblina, como é verdadeiramente o caso de um arco-íris. Assim, o nome correto para tal efeito visualizado no céu é arco circunzenital.

Origem do arco circunzenital

O 'mistério' por trás do arco circunzenital ou 'arco-íris invertido'

Foto: Reprodução/ internet

Os arcos circunzenital, integrantes da “família” halos, são gerados a partir da refração da luz por meio de cristais de gelo em nuvens situadas em elevada altitude, a exemplo das cirrus ou cirrostratus.

Tal arco é, inclusive, um dos integrantes dotados de mais brilho e cor de todo o grupo halos. As cores do mesmo vão de violeta ao vermelho. Tais tons de cor são até mais puras que os do arco-íris, isso devido a sobreposição que, no caso do arco circunzenital, é bem menor em sua formação.

Processo de formação

O processo de formação de um arco circunzenital, o qual é mais comum em climas frios, ocorre quando os cristais de gelo estão situados em uma orientação específica em relação ao sol. Assim, a luminosidade deve penetrar pelo cristal de gelo por meio da face superior plana e sair por meio de um prisma situado na lateral.

Nesses casos, é preciso também que o vento esteja um tanto parado, para que as partículas de gelo ganhem uma única orientação e assim darem origem ao arco.

Via Mistérios do Mundo


Reportar erro