O que entender por cibernarrativa?

A cibernarrativa, ou narrativa não-linear, é um conceito que trata da arte de contar histórias no ciberespaço


O termo “cibernarrativa” refere-se a uma maneira inovadora no ato de “contar histórias”, devido à propagação das redes de informação e dos suportes tecnológicos, permitindo a abertura de outros caminhos para a comunicação.

A cibernarrativa, ou narrativa não-linear, é um conceito que trata da arte de contar histórias no ciberespaço, com a utilização, exploração e direcionamento das mais diversas tecnologias.

A cibernarrativa e o uso das tecnologias

A professora Lúcia Leão, em seu texto intitulado “Cibernarrativas: a arte de contar histórias no ciberespaço”, aborda o surgimento de novas leituras para o modelo de narrativa habitual, contexto no qual se insere o contexto abordado neste artigo.

A partir do crescimento das redes de informação e outras tecnologias, tornou-se possível a utilização de outros caminhos para a comunicação, incluindo as cibernarrativas, isto é, a arte de contar histórias no ciberespaço. Desta maneira, apenas é possível debater acerca das cibernarrativas quando pensamos na evolução dos meios de comunicação.

Ilustração de smartphone

Foto: Depositphotos

No modelo de cibernarrativa abordado por Lúcia Leão, ocorrem as leituras não-lineares ou multi-lineares, ou seja, diversos entendimentos sobre uma mesma narrativa. A professora propõe uma ambientação sobre o uso dessas tecnologias, uma vez que as informações chegariam ao leitor através de gadgets.

As cibernarrativas possibilitam a discussão dos conceitos das novelas fugindo dos trabalhos lineares e com linguagens superficiais, ampliando as possibilidades das maneiras de contar histórias.

Este conceito apresenta a possibilidade de interação das pessoas que recebem a mensagem e, assim, torna-se possível a discussão desde a forma da construção até a mensagem final, o que é uma contribuição com a obra.

A recontextualização da maneira de se contar histórias

Ao tentar encontrar as propriedades das narrativas no ciberespaço, a professora Lúcia Leão esclarece que o ponto comum entre elas é a fundamentação no modelo de hipertexto. O foco das cibernarrativas é a possibilidade de múltiplos pontos de vista, sendo que a conexão de ideias no modelo de hipertexto permite a leitura de forma não-linear, o que contribui para a criação de uma rede de significações. Ao imergirmos no ciberespaço, a intenção é entrelaçar conceitos e conseguir a formação de um novo ambiente que una a linguagem teatral e a cibernética, onde há possibilidades infinitas.

Desta maneira, a cibernarrativa é um conceito que recontextualiza a maneira de se contar histórias, a partir de ressignificações pelo uso da rede e a redefinição da utilização da dispositivos.


Reportar erro