O surgimento das cores: nomenclaturas e características

Entenda o surgimento das cores e de seus nomes, e saiba como são as percepções e por que enxergamos cada uma das cores


As cores são percepções visuais que são provocadas pela ação de um feixe de fótons sobre células especializadas da retina. É também por isso que enxergamos os objetos: ele recebe luz proveniente de fonte luminosa, ao contrário da ideia que normalmente temos de que ele tem a própria luz, e é visível por si. A fonte de luz que o ilumina, por sua vez, possui diversas cores que a compõe, de forma que os raios contêm todas as cores imagináveis.

Mas então por que enxergamos cada objeto de uma cor?

Isso acontece porque cada objeto reage de uma forma diferente, absorvendo a maioria das cores e refletindo apenas uma delas. A cor que não é absorvida é a cor que vemos nos objetos. Por exemplo, quando você vê um carro de coloração vermelha, significa que ele absorve todas as cores do feixe de luz, menos o verde, refletindo.

O surgimento das cores: nomenclaturas e suas características

Foto: Ultradownloads

Preto e branco

A cor preta e a cor branca, no entanto, têm um diferencial. O branco, por exemplo, é a junção de todas as cores, mas quando não absorve nenhuma delas, mas reflete todas. É, portanto, a ausência da cor. O preto, por sua vez, refere-se à junção também de todas as cores, mas todas absorvidas ao invés de refletidas.

Cores das roupas, preta ou branca?

Quando falamos em roupas, é comum escutarmos alguns conselhos, por exemplo: em dias de inverno, use roupas pretas. Isso porque essa cor absorve todas as cores, ou seja, todas as formas de energia. A melhor forma de dissipar energia é por meio do calor.

E nos dias de calor? Quais roupas devemos usar? A melhor opção para os dias de calor, são as roupas claras, pois elas não absorvem nenhuma cor do feixe de luz e, consequentemente, não absorve energia e sequer irá dissipar na forma de calor.

De onde  vieram os nomes das cores?

Amarelo: O nome amarelo tem uma história bastante interessante. No passado, acreditava-se que a doença conhecida como icterícia, que deixa as crianças amareladas, vinha da bílis, produzida pelo fígado. Essa secreção era chamada de “humor amargo”. Amargo em latim é amargus, que quando no diminutivo, se transforma em amarellus, de onde surgiu o nome da cor.

Branco: Normalmente, quando algo é bem liso e brilhante, chamamos de “branquinho”. Os latinos usaram essa referência para usar blank, palavra germânica para polido, para referir-se à cor branca.

Preto: Appectoráre, do latim, significa “comprimir contra o peito”. Com o tempo, essa palavra começou a se tornar “apretar”, que por analogia, gerou o preto, que referia-se a algo denso, espesso e “apertado”.

Laranja: O laranja, por sua vez, veio do momento em que os árabes, que vieram da Europa trazendo a fruta laranja, resolveram nomear a cor com o nome da fruta.

Azul: O azul vem de lápis-lazúli, a pedra preciosa. Lazúli vem do árabe lázúrd que refere-se à coloração azulada da pedra.

Marrom: A castanha portuguesa, em francês, chama-se marron, e da cor do fruto adotamos o nome da cor.

Cinza: cinza por sua vez, nasceu da massa de pó misturada com as brasas que sobre após a queima das fogueiras.

Vermelho: Antigamente, a tinta vermelha era feita através de um inseto, que quando esmagado virava um vermelhão. O nome da cor deriva de vermiculum, que do latim, significa “vermezinho”.

Verde: O nome verde já nasceu para a cor, mas o verbo vivere, do latim, significava verde, verdejar, e dele surgiu a associação do verde com o que ainda está nascendo, no caso as plantas.


Reportar erro