O uso dos porquês

Existem quatro tipos de porquês na língua portuguesa, e cada um deles possui uma aplicação diferente de acordo com as regras gramaticais. Hoje vamos…


Existem quatro tipos de porquês na língua portuguesa, e cada um deles possui uma aplicação diferente de acordo com as regras gramaticais. Hoje vamos aprender sobre esse assunto que confunde muitas pessoas e deixa muitas dúvidas.

O uso dos porquês

Foto: Reprodução

Por que

O “por que”, separado e sem acento, tem dois empregos diferentes na língua portuguesa. Quando for a junção da preposição por + pronome interrogativo ou indefinido que, o “por que” terá o sentido de “por qual razão” ou ainda “por qual motivo”, como o exemplo abaixo:

Ex.: Por que você não vai ao cinema? (por qual razão você não vai ao cinema?).

Outro exemplo, na resposta do questionamento acima: Não sei por que não quero ir. Nessa frase, poderíamos trocar o “por que” por “por qual motivo”.

Além disso, pode ser a junção da preposição por + pronome relativo que, e nesse caso possuirá o significado de “pelo qual”, podendo receber as flexões: pela qual, pelos quais, pelas quais. Confira o exemplo abaixo:

Ex.: Sei bem por que motivo permaneci neste lugar.

Por quê

O “por quê”, separado e com acento, é usado quando vem antes de um ponto, seja ele final, interrogativo ou de exclamação. Apesar de receber o acento, continua com o significado de “por qual motivo” e “por qual razão”.

Ex.: Vocês não comeram tudo? Por quê?

Andar cinco quilômetros, por quê? Vamos de carro.

Porque

Quando junto e sem acento, o “porque” é uma conjunção causal ou explicativa, e tem significado aproximado com “pois”, “uma vez que” ou “para que”. Confira os exemplos:

Ex.: Não fui ao cinema porque tenho que estudar para a prova. – Nessa frase, o porque poderia ser substituído por “pois”.

Não vá causar intrigas porque prejudicará a si mesmo. – Neste caso, substituiríamos por “uma vez que”.

Porquê

O “porquê”, quando junto e acentuado, é um substantivo e possui o significado de “o motivo”, “a razão”. Vem sempre acompanhado de artigo, pronome, adjetivo ou numeral. Para entender melhor, confira os exemplos abaixo:

Ex.: O porquê de não estar conversando é porque quero estar concentrada. – Neste caso, o “porquê” vem como “um motivo”.

Diga-me um porquê para não fazer o que devo. – Já neste caso, você poderia substituir por “uma razão”.

Tabela de macete

Para facilitar, confira a tabela. Esta pode ser impressa ou copiada para um caderno para facilitar a consulta e o aprendizado:

Forma

Quando usar

Exemplo

Por que Sempre que houver perguntas ou quando as palavras “razão” e “motivo” estiverem presentes, mesmo que não explícitas. Por que você não aceitou o convite?

Ela contou por que estava magoada.

Por quê Em finais de frases. Por quê? Você sabe bem Por quê.
Porque Quando corresponder a uma explicação ou causa. Comprei este sapato porque é mais barato.
Porquê Quando é substantivado e substitui “motivo” ou “razão” Não sabemos o porquê de ela ter agido assim. É uma menina cheia de porquês.

Reportar erro