Odisseia

Odisseia é, ao lado de Ilíada, um dos principais poemas épicos da Grécia Antiga e que foram atribuídos a Homero. Saiba mais sobre a obra


Odisseia é, ao lado de Ilíada, um dos principais poemas épicos da Grécia Antiga e que foram atribuídos a Homero. Trata-se de um poema fundamental no cânone ocidental e é a segunda (Ilíada é a primeira) obra da literatura ocidental.

Narra as aventuras de Ulisses durante 10 anos de ausência do lar. Assim como Ilíada, é um poema elaborado no decorrer de séculos de tradição oral, que teve a forma fixada por escrito provavelmente no fim do século VIII a.C.

A estrutura de Odisseia

A estrutura de uma das obras mais clássicas e antigas da literatura ocidental encontra-se repartida em 24 cantos, apresentando um total de doze mil versos hexâmetros. A narrativa é composta de quatro partes.

Possui um enredo não cronológico e tanto as mulheres quanto os escravos marcam o rumo dos acontecimentos, bem como as atitudes dos heróis. A trama da narrativa destaca-se pela originalidade de conservar elementos concretos, diretos, que se articulam no poema sem análises nem comentários.

Odisseia

Imagem: Reprodução/ L&PM Editores

A narrativa

Diferentemente de Ilíada, a Odisseia não narra feitos bélicos, mas trata das viagens e aventuras extraordinárias de Ulisses, um dos heróis da guerra de Troia.

Ulisses – ou Odisseu – tenta voltar para a sua casa, em Ítaca, após a Guerra de Troia, mas não consegue, pois foi submetido a provas em sua viagem de retorno, que tem a duração de dez anos.

A esposa Penélope acreditava na volta do seu rei e marido, mas estava sendo pressionada por um grupo de pessoas que diziam que Ulisses estava morto e que ela deveria escolher um dos “pretendentes” ao cargo de rei e se casar. Vários participantes da Guerra, causada pelo sequestro de Helena, esposa de Menelau, já haviam retornado para casa, na Grécia, mas Ulisses foi retido por uma tempestade no mar, que o desviou de seu rumo.

Na primeira parte da narrativa, aparece a Assembleia dos Deuses e a partida de Ulisses. São muitos os pretendentes da mão de sua esposa Penélope, e Atena encoraja Telêmaco a proteger a sua mãe. Com o passar dos dias, o desespero de Telêmaco aumenta e ele decide ir em busca de seu pai, porém sem êxito.

Na segunda parte, há outra reunião dos deuses que resulta na permissão da partida de Ulisses, após sete anos de retenção. O herói constrói uma jangada e, quando nela navegada, é atingido por uma tormenta que o atira na Ilha dos Feaces.

Na terceira parte de Odisseia, é encontrado o relato de Ulisses sobre as suas aventuras, a partida de Troia e os seus seis companheiros devorados.

Enquanto Ulisses passa por muitas aventuras incríveis, Penélope engana os seus candidatos a marido, propondo-lhes que escolherá um deles quando terminar de tecer uma mortalha, a qual ela borda durante o dia, e desfaz à noite.

Na quarta parte do épico, há o retorno de Ulisses à Ítaca, com a ajuda de alguns deuses. Ele se disfarça de mendigo, é reconhecido pelo seu filho Telêmaco e, com a ajuda deste, elimina os seus inimigos.

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas). 


Reportar erro