Origem do calendário

Entenda um pouco sobre a origem do calendário e conheça os calendários primitivos que foram unidos e aprimorados para que surgisse o nosso


O calendário é nada menos que um sistema onde é possível contar os dias, meses e anos. Além de nos fazer ficar mais situados no tempo, ele também nos ajuda em necessidades civis e religiosas e também padroniza a contagem de tempo no mundo inteiro. Sem ele, as atividades diárias seriam uma verdadeira confusão, e seria bem mais difícil cumprir com compromissos e coisas afins. Entenda como ele surgiu e foi evoluindo com o passar do tempo.

Origem do Calendário

Os Astecas foram um dos primeiros povos a criarem um calendário. Saiba qual a origem do calendário que usamos e de outros ao redor do mundo. | Imagem: Reprodução

Calendários primitivos

As antigas civilizações, antes de criarem o calendário e os nomes “dia”, “mês” e “ano” utilizavam o sol e a lua para guiar-se no tempo. Foi criado então o calendário da lua, onde as pessoas utilizavam o satélite natural terrestre para fazer a contagem de dias, e as suas fazes os ajudavam também a ter mais noção de em que época do ano estavam, o que facilitava um reconhecimento primitivo das estações sazonais, que eram extremamente importantes para eles, pois interferia na agricultura, pesca e outras formas que eles tinham de sobreviver.

Calendário da Lua

Imagem: Reprodução

Outros povos começaram a desenvolver seus próprios calendários, mesclando os conhecimentos sobre o sol e a lua. Os maias, por exemplo, criaram um sistema de calendário bem diferente, sofisticado e que mesmo assim é de fácil compreensão. Este é também o calendário que termina no dia 21 de dezembro de 2012, o que acabou gerando todas as teorias de que este seria o fim do mundo.

Calendário Asteca

Imagem: Reprodução

Os calendários romanos

O calendário que nós utilizamos hoje é uma adaptação e evolução dos calendários romanos. O primeiro foi feito por Rômulo e possuía apenas 304 dias, divididos em 10 meses. Depois Numa Pompilio fez outro calendário, possuindo 12 meses e cada mês deveria ter 29 ou 31 dias, pois os romanos eram extremamente supersticiosos e acreditavam que números pares davam azar. Mas para completar o ano solar ainda faltavam 10,25 dias, então eles criaram o mês Mercedonius, que era acrescentado no final do calendário, de 4 em 4 anos, para completar os dias que faltavam.

Esse mês Mercedonuis ficava no meio de Febrerius, que era o último mês do calendário deles. Então o mês de Febrerius contava-se apenas até o dia 23, e então iniciava-se o mês Mercedonius, e ao fim deste volta-se a contagem para 24 de Febrerius. Este sistema de calendários era o mais próximo das quantidades de dias solares e meses lunares, mas era bastante confuso para o povo, por isso necessitava de aprimoramentos.

Calendário Romano

Imagem: Reprodução

Origem do Calendário Juliano

Foi o imperador de Roma Júlio Cesar quem criou o sistema de calendários que nós utilizamos hoje. Fez com que o ano iniciasse em 1º de janeiro para fazer com que coincidisse com a primeira lua nova após o solstício de inverno. O ano continuaria com 12 meses, mas teria 365 dias. Cada mês iria possuir 30 ou 31 dias, com exceção de fevereiro, que teria apenas 28 dias, com um dia acrescentado de 4 em 4 anos para assim então completar a quantidade de dias necessárias para a terra completar uma volta ao redor do sol, o que equivale a um ano solar.

Outros calendários ao redor do mundo

O calendário que nós utilizados aqui no Brasil é padrão em quase todo o mundo. Apenas os judeus e os muçulmanos seguem um calendário diferente, referente às suas religiões. Nosso calendário tem como ano 1, aquele em que Cristo nasceu, e como nenhuma das duas religiões citadas segue o cristianismo, criaram seus próprios sistemas de calendário. Os islâmicos utilizam datas estabelecidas por seu profeta Maomé para o sistema de seu calendário.


Reportar erro