Os principais ataques terroristas à França

Os atentados, que deixaram muitos mortos e feridos ao longo da história, são identificados por explosões, tiroteios, ataques coordenados e uso de reféns


Ao longo da história da humanidade, muitas nações vem sendo atingidas por ataques terroristas. Mais recentemente, a França aparece como uma das que mais contabiliza a incidência desses ataques nos últimos anos. Episódios que foram assumidos por grupos que atentam contra a segurança e integridades dos civis, seja por defender ideais ou por motivos religiosos. Apesar disso, nada justifica a realização desses atos, o que acarretou na interrupção da vida e sonho de muitas pessoas.

Os atentados são identificados por explosões, tiroteios, ataques coordenados e uso de reféns. A consequência para esses atos insanos vão muito além da vida das pessoas, tirada de forma fria. Eles causam feridas na nação, induzem a comoção geral, revolta e até medidas drásticas por parte das autoridades. De imediato, a insegurança é um fator que assombra as pessoas, chegando a prejudicar o dia a dia dos habitantes e até traz consequências mais graves para o turismo e para a forma que a nação é vista no exterior.

‘Explicações’ para a barbárie

De acordo com estudiosos, alguns motivos são apontados para que a França seja alvo constante das ações terroristas: A França é parte da coalizão que ataca o Estado Islâmico (EI). Desde 2014, é ativa nos bombardeios aéreos; A marginalização dos muçulmanos, que migram para o país em busca de oportunidades que não foram oferecidas; A alienação da cultura dominante e o desemprego também são apontadas como possíveis causas; A dimensão cultural de Paris, cosmopolita e libertária, não é aceita pelos terroristas; e por Paris também ser definida pelo EI como a “capital da prostituição e do vício”.

Os principais ataques terroristas à França

Foto: Pixabay

Ataques terroristas à França

Conheça os principais ataques terroristas que assombraram a França ao longo dos anos:

1985 – No dia 29de março, em um ataque ao cinema de Paris, durante um festival de filmes judeus, dezoito pessoas ficaram feridas. A ação foi encabeçada pelo movimento Jihad Islâmico.

1986 – Uma bomba explodiu nos armazéns Tati de Paris, causando a morte de sete pessoas. O Comitê de Solidariedade com os Presos Políticos Árabes e do Médio Oriente assumiu o ataque. O ataque ocorreu no dia 17 de setembro.

1995 – Na estação de metrô parisiense Saint Michel, em artefato explode causando a morte de oito pessoas e deixando outras 117 feridas. A ação, que foi realizada no dia 25 de julho, foi atribuída aos integristas argentinos.

1996 – Mais uma vez, com ação assumida pelos integristas argentinos, ocorreu a explosão de uma bomba na estação de metrô de Port Royal. O atentado aconteceu no dia 3 de dezembro, causando a morte de quatro pessoas e deixou outras 93 feridas.

2012 – Em um colégio judeu, localizado na região de Toulouse, no dia 19 de março, três crianças e o pai de uma delas são mortos depois de um tiroteio. Investigações apontam que os disparos foram feitos pela mesma pessoa que, dias antes matou um grupo de três paraquedistas de origem magrebina.

2015 – No início do ano de 2015, nos dias 7, 8 e 9 de janeiro, um total de 17 pessoas foram mortas em três atentados jihadistas em Paris. O primeiro deles aconteceu na sede do jornal satírico “Charlie Hebdo”, resultando na morte de 12 pessoas. O jornal é conhecido por fazer sátiras envolvendo os judeus. No episódio, um dos suspeitos adentrou na redação do veículo procurando por uma pessoa em específico. Na sequência, ele abriu fogo, almejando os demais membros da equipe. Na imediações do jornal, assim que os suspeitos deixaram o prédio, houve muita correria nas ruas, pois eles abriram fogo contra os policiais e civis que passavam pelas imediações. O caso ganhou repercussão mundial, ainda mais que acirrou as críticas contra a intolerância religiosa e ideológica.

O caso não ficou por aí. Um policial municipal e quatro civis foram mantidos reféns em um supermercado judeu, no leste de Paris, depois mortos pelos suspeitos de realizar a ação terrorista.

Pouco tempo depois desse atentado, mais precisamente no dia 13 de novembro, outra ação terrorista volta a abalar as estruturas da França. Dessa vez, mais de 130 pessoas foram mortas, e outras tantas ficaram feridas em mais um atentado terrorista. Na ação ocorrida no Bataclan, conhecida casa de espetáculos de Paris, quatro terroristas se suicidaram, detonando explosivos que três deles tinham em seus cintos. Antes de entrar no local os homens suspeitos pelo atentado dispararam tiros de metralhadoras em cafés que ficam do lado de fora do Bataclan.

Também foram registrados tiroteios em outros pontos da cidade e explosões perto do Stade de France, durante um amistoso entre as seleções da França e Alemanha. Em toda a cidade, pelo menos três tiroteios foram registrados.

2016 – O mais recente atentado terrorista registrado contra a França aconteceu no dia 14 de julho. Na ocasião, pelo menos 80 pessoas morreram depois que um caminhão atropelou, de forma voluntária, a multidão que se concentrava em Nice, região localizada ao sul da França, para ver a queima de fogos em comemoração ao Dia da Bastilha. Autoridades disseram que o veículo percorreu 2 km entre a multidão. O motorista foi morto pela ação de policiais que estavam no local e tentaram impedir o ato.


Reportar erro