Para-raios

O para-raios é uma ferramenta que consiste em uma haste de metal pontiaguda que se conecta a cabos de cobre ou de alumínio de…


O para-raios é uma ferramenta que consiste em uma haste de metal pontiaguda que se conecta a cabos de cobre ou de alumínio de pequena resistividade conectados ao solo. Sua função é atrair os raios e desviá-los por meio dos cabos até o solo, onde é dissipado sem causar nenhum dano em residências ou empresas.

Com função de proteger as construções e seus aparelhos elétricos de sofrer fortes descargas elétricas atmosféricas, os para-raios evitam a queima de equipamentos como computadores, televisores, geladeiras, e outros.

A ausência de um para-raios durante uma tempestade pode causar danos não apenas aos aparelhos, como mencionado, mas também, quando atinge um indivíduo ou um animal, pode implicar em paradas cardíacas e falecimento.

Apesar de sua importância, a maioria das pessoas não faz uso deste equipamento para se proteger. Este, normalmente é usado apenas por grandes empresas ou em prédios residenciais altos.

Para-raios

Foto: Reprodução

História

Foi desenvolvido por um cientista conhecido como Benjamin Franklin, que, no ano de 1752, realizou uma experiência muito perigosa fazendo uso de fios de metal para empinar pipas de papel. Com essa experiência, ele pode observar que a carga elétrica dos raios descia pelo dispositivo, provando também que estas serviam como condutores elétricos quando em contato com o solo.

Como funciona?

Para que o funcionamento se dê por completo, é preciso que este equipamento seja colocado em locais bem altos, de forma a atrair o raio. Os locais onde normalmente são colocados são topos de edifícios, de antenas de transmissão, entre outros.

Quando acontece uma tempestade, ou há a presença de uma nuvem eletrizada passando em locais próximos ao para-raios, ocorre uma interação entre eles, provocando uma indução eletrostática. As cargas de sinais contrários da nuvem acabam induzidas nas pontas metálicas dos para-raios. Com isso, forma-se um campo elétrico em suas vizinhanças que vai, aos poucos, tornando-se mais intenso. Quando esse campo ultrapassa a rigidez dielétrica do ar, no valor de 3 x 106 V/m, que é o limite, o ar se ioniza e forma um caminho condutor até as nuvens. Começam então as descargas elétricas que serão recebidas pelo para-raios.

O para-raios, por sua vez, conduzirá através dos fios a descarga elétrica até o chão, onde será inofensiva aos aparelhos eletrodomésticos, pessoas e animais.


Reportar erro