Particípio

Amada por uns e odiada por outros, a gramática normativa da língua portuguesa é uma matéria muito importante durante os anos escolares, sendo essencial…


Amada por uns e odiada por outros, a gramática normativa da língua portuguesa é uma matéria muito importante durante os anos escolares, sendo essencial para obter uma boa colocação em concursos, vestibulares e na vida profissional em geral.

Devido às inúmeras regras (e exceções!) que apresenta, a gramática pode ser um bicho-papão para os falantes do nosso querido idioma, mas, com um pouco de atenção, estudo e disposição, é possível apreendermos alguns conteúdos sem grandes problemas.

Neste artigo, abordaremos o particípio, que é uma forma nominal de um verbo que carrega muitas funções, podendo atuar como um substantivo, advérbio, adjetivo, ou ainda ser empregado na construção de frases compostas. 

Particípio

Imagem: Estudo Prático

O que é particípio?

O particípio é uma das formas nominais do verbo, não apresentando nenhuma desinência modo-temporal ou número-pessoal. Trata-se da forma nominal que expressa uma ação já realizada, transmitindo, portanto, uma ideia de conclusão da ação verbal.

O particípio é utilizado na formação dos tempos compostos, locuções verbais e orações reduzidas. Pode ser regular ou irregular. 

 

Particípio regular

Na forma regular, o particípio termina em –ado (1ª conjugação) ou –ido (2ª e 3ª conjugações).

Verbos no  particípio regular

A maioria dos verbos apresenta particípio regular, sendo empregados na voz ativa juntamente com os verbos auxiliares “ter” e “haver”. Confira os exemplos a seguir:

-Joana tem vivido dias alegres.
-Ele tem acordado muito cedo nos últimos meses.
-Todos os funcionários já haviam aceitado o acordo sobre os novos horários.
-O seu cachorro havia morrido há três semanas.

Alguns verbos têm apenas particípio regular. São eles:

– Cantar: cantado;
– Estudar: estudado;
– Comer: comido;
– Viver: vivido;
– Partir: partido;
– Dividir: dividido.

Particípio irregular

São poucos os verbos que apresentam apenas o particípio irregular, terminando em –to ou –so. São usados na voz passiva juntamente com os verbos auxiliares “ser” e “estar”.

Confira os exemplos a seguir:

-O filme foi lançado há vinte anos.
Os estudantes têm feito os trabalhos com atenção e cuidado.
-O bebê está coberto.

Alguns verbos têm apenas particípio irregular. São eles:

– Dizer: dito;
– Fazer: feito;
– Cobrir: coberto;
– Ver: visto;
– Escrever: escrito;
– Pôr: posto;
– Vir: vindo.

Verbos abundantes e o duplo particípio

Existem vários verbos, denominados verbos abundantes, que apresentam duplo particípio: um particípio regular e um particípio irregular.

Confira alguns verbos abundantes a seguir:

-Aceitar (aceitado e aceito)
-Acender (acendido e aceso)
-Eleger (elegido e eleito)
-Entregar (entregado e entregue)
-Enxugar (enxugado e enxuto)
-Expressar (expressado e expresso)
-Expulsar (expulsado e expulso)
-Ganhar (ganhado e ganho)
-Gastar (gastado e gasto)
-Imprimir (imprimido, impresso)
-Prender (prendido e preso)
-Salvar (salvado e salvo)
-Soltar (soltado e solto)

 

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas).


Informar erro