Península Ibérica, a segunda maior península da Europa

Atualmente chamada de península Ibérica, a região já teve diversos nomes ao longo dos tempos, quando governada por povos distintos. Os nomes que se…


Atualmente chamada de península Ibérica, a região já teve diversos nomes ao longo dos tempos, quando governada por povos distintos. Os nomes que se destacam são Hispânia e Ibéria, o primeiro romano e o segundo grego. Situada no sudoeste da Europa, a península Ibérica é formada por Gilbratar, Portugal, Espanha, Andorra e um pequeno pedaço do território da França. Menor apenas que a península Escandinava, sua área tem aproximadamente 580.000m² e é ligada ao resto do continente europeu pelo istmo constituído pela cordilheira dos Pirineus. Rodeada pelo oceano Atlântico e pelo mar mediterrâneo, seus pontos extremos são o cabo da Roca, o cabo de Creus, a ponta de Tarifa e a estaca de Bares.

Península Ibérica

Foto: Reprodução

Sua altitude média é bastante elevada, e apresenta predominantemente planaltos rodeados por cadeias de montanhas, estes atravessados pelos principais rios, que são o rio Tejo, o rio Douro, o rio Guadiana e o rio Guadalquivir, que deságuam no oceano Atlântico, e o rio Ebro que deságua no mar mediterrâneo.

As elevações mais importantes são a cordilheira Cantábrica no norte, o sistema Penibético (serra Nevada) e o sistema Bético (serra Morena) no sul; e a cordilheira Central (serra de Guadarrama). Densamente povoada no litoral, a península Ibérica tem fraca densidade populacional nas regiões interiores, com exceção de Madrid, que é uma região densamente povoada.

Características geográficas

Sua extensão territorial é de 583.254km² e, estima-se que a população, em 2011, era de 54,4 milhões de habitantes.

A maior parte do território é composta pelo relevo Meseta Central que, com altitude média de 600 metros, está situada na região central da península. Seu ponto mais elevado é a montanha Mulhacén, com 3.478 metros, situada na Cordilheira da Serra Nevada ao sul da Espanha. O clima é mediterrâneo em grande parte do território, e temperado oceânico ao norte. Seus pontos extremos são Punta de Tarifa ao sul, Punta de Estaca de Bares ao norte, Cabo de Creus ao leste e Cabo de la Roca à oeste. Seus principais rios são Tejo, Douro, Ebro, Guadiana, Guadalquivir, Minho, Mondego, Cávado, Lima, Segura e Sado, e as principais cidades Madri, Barcelona, Sevilha e Málaga, que são cidades espanholas, e as portuguesas, Porto e Lisboa.

A história da Reconquista

Cristãos e muçulmanos constantemente entravam em conflito principalmente por causa da Terra Santa, região em torno de Jerusalém considerada sagrada para as duas religiões. Os muçulmanos, no século VIII, invadiram a Península Ibérica, e se apoderaram das terras, inserindo lá seus hábitos e sua religião. Em 718, houve uma revolta em Pelágio, marcando o início da Reconquista, cujo objetivo era reaver as terras que sempre foram dos cristãos, carregados por uma cultura européia muito distinta da do povo do Oriente.

Os muçulmanos sempre foram considerados intrusos e invasores da Península Ibérica, mesmo presentes na região por oito séculos. Este fato se deu por terem cultura e costumes completamente diferentes dos cristãos, e também pela falta de interesse que demonstravam em interagir com os habitantes naturais da região. Desta forma, a guerra entre as duas religiões se intensificou

Durante oito séculos, a reconquista perdurou. O processo, antes identificado apenas como o momento da efetiva retomada dos territórios no século XV, teve seu longo período de diversos eventos reconhecido pelos historiadores. As Cruzadas, por exemplo, estiveram diretamente envolvidas com a Reconquista. Os líderes do Cristianismo convocaram seus fiéis a combater os muçulmanos presentes na região. Neste meio, Portugal beneficiou-se com condições que permitiram a unificação como Estado Nacional. Em meio a ordens religiosas e militares participantes que tiveram papel significativo na expulsão definitiva dos muçulmanos no século XV, destacaram-se os Cavaleiros Templários e outros reinos cristãos que surgiram, como Leão, Navarra, Castela e Aragão.

Consolidada em 1492, a reconquista foi marcada pela tomada do reino de Granada. Os cristãos, no final do século, reuniram suas forças e os Reis católicos formaram uma aliança, encurralando os muçulmanos e expulsando-os definitivamente do território. O processo da Reconquista culminou com a retomada da Península Ibérica e gerou condições para a unificação da Espanha, no mesmo ano.

Escrito por Natália Petrin


Reportar erro