Placas tectônicas

Placas tectônicas são porções sob a crosta terrestre – litosfera – responsáveis pela sustentação dos continentes, que são limitadas por zonas de convergência ou…


Placas tectônicas são porções sob a crosta terrestre – litosfera – responsáveis pela sustentação dos continentes, que são limitadas por zonas de convergência ou divergência. No ano de 1968, foi desenvolvida a Teoria das Placas Tectônicas, em que foi descoberto que as placas flutuam e movimentam-se no substrato pastoso, chamado de astenosfera. Além disso, possuem espessuras diferentes que variam de acordo com o material rochoso pelos quais são compostas.

Placas tectônicas

Foto: Reprodução

Consideram-se, atualmente, 12 placas principais existentes, mas que podem se subdividir em placas menores. Cada uma delas recebe um nome: Placa Eurasiática, Placa Indo-Australiana, Placa Filipina, Placa dos Cocos, Placa do Pacífico, Placa Norte-Americana, Placa Arábica, Placa de Nazca, Placa Sul-Americana, Placa Africana, Placa Antártica e Placa Caribeana.

Movimentos das placas tectônicas

Com inter-relacionamentos diversos, as placas tectônicas estão em constante renovação, transformando-se pelo acréscimo de material magmático, migrando lateralmente ou se destruindo nas zonas de subducção. Os movimentos das placas dão origem a três tipos de bordas ou limites, e em cada um deles ocorrem processos geológicos característicos.

  • Limites divergentes

As zonas de divergências, são locais onde as correntes de convecção agem em direções contrárias, originando, dessa forma, rupturas no assoalho oceânico. Por meio delas, é expelido o magma da astenosfera que, ao esfriar, causa a renovação do assoalho oceânico. Existem cordilheiras que são consequência do afastamento das placas tectônicas nessas zonas de divergência no meio dos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico que chegam a alcançar 4 mil metros acima do assoalho oceânico. Essas são chamadas de Cordilheiras Meso-Oceânicas.

  • Limites convergentes

Essas são caracterizadas pelo movimento das placas uma em direção à outra. Pode acontecer ainda de uma placa afundar por sob a outra, isso acontece nas zonas de subducção e entre uma placa oceânica e uma placa continental. A placa oceânica tende a ser mais densa do que a placa continental, fazendo com que seja submergida facilmente. A zona de subducção da Placa de Nazca em colisão com a placa continental Sul-Americana pode ser citada como exemplo, pois foi onde surgiu a formação da Cordilheira Andina.

  • Limites neutros

As placas se movimentam devido às correntes de convecção que acontecem na astenosfera, logo abaixo da litosfera. Essas são causadas pelo movimento dos materiais quentes do manto, que, ao chegar a base da litosfera, tendem a se movimentar lateralmente, perdendo calor por causa da resistência, e depois descem novamente dando lugar a mais material aquecido. Esse movimento não produz conflitos nem destrói a litosfera, mas formam falhas, como por exemplo a falha de San Andréas, na Califórnia.


Reportar erro