Pólis grega – Resumo de sua formação e características

A pólis foi uma importante forma de organização instituída na Grécia antiga. Veja um resumo com suas características e outros detalhes


A antiga civilização grega quando estava em processo de desenvolvimento viveu um momento que é destacado por historiadores como um dos principais da Antiguidade, o surgimento da Pólis. A Pólis pode ser entendida basicamente como uma junção de várias Cidades-Estado constituintes do território grego, que aconteceu entre o fim do Período Homérico e início do Período Arcaico.

Pólis grega - Resumo de sua formação e características

Foto: Reprodução

Conheça a história das Pólis da Grécia Antiga

No período compreendido entre XII a.C à VIII a.C, chamado Homérico, houve a criação de diversas comunidades gentílicas. Estas se caracterizavam por serem unidades agrícolas pequenas, mas de autossuficiência, e nelas todas as riquezas que eram produzidas eram feitas de forma coletiva. A gerência do grupo era função do pater, o patriarca encarregado de organizar ações de cunho administrativo, judiciário e religioso a serem exercidas por todos ali.

Tempos depois, a população foi crescendo e se mantendo desproporcional em relação à produção agrícola, devido à carência de terras e a falta de recursos avançados e técnicas de plantio. Dessa maneira a organização coletiva até então estabelecida passou a não existir, no lugar dela, surgia uma nova configuração na sociedade. Nesta os membros próximos ao antigo pater formaram uma distinta classe que subordinaria os demais componentes da comunidade.

Eupátridas era o nome desta pequena classe dominante, o termo grego significa ‘’bem-nascido’’. Logo abaixo desta estava os Georgoi, os ‘’agricultores’’, que detinham de terras ainda disponíveis e formavam uma classe pequena de proprietários. Na camada inferior estavam os Thetas, os ‘’marginais’’, sem dúvida os que estavam em maior número e que não possuíam nenhum tipo de propriedade.

Dessa forma, os Eupátridas se responsabilizavam por tomar decisões políticas e por coordenar instituições e organizar os instrumentos a serem usados nos trabalhos. Assim, a aristocracia desse momento era definida pela riqueza da terra e na medida em que as disputas de poder se acirravam por causa deste bem, passou-se a haver mobilizações de defesa das terras. Por conta disso, criaram-se as fratrias no intuito de estabelecer a preservação das terras.

Algum tempo depois, as fratrias passaram a se unir coletivamente para organizar as tribos, e as tribos por sua vez passavam também a desempenhar o papel de proteger as terras de determinadas regiões.  Porém, logo mais essas associações passaram a ter outras importâncias, as tribos juntamente com os Eupátridas vieram a determinar a formação das primeiras Cidades-Estado, as pólis gregas.

As pólis em sua maioria vieram a se povoar em torno da acrópole, o qual era situado no ponto mais elevado da cidade e nesse ambiente se reuniriam os palácios e templos da sua respectiva pólis. Com a fundação da pólis, determinou-se também a criação de uma aristocracia que seria responsável pelo propósito político de sua população. Historicamente, significou um espaço onde se fixariam diversas formas de organização, e também foi a partir dela que políticas foram criadas e desenvolvidas.


Reportar erro