Mioclonia, o que é e por que temos durante o sono

A mioclonia não é considerada uma doença, ela pode ser causada por uma reação do nosso organismo a algum distúrbio


Você já acordou no meio da noite como se tivesse levado um choque em algum membro do seu corpo? Essa sensação é o sintoma mais explícito da mioclonia. O nome é complicado, mas é fácil de explicar: são contrações repentinas, incontroláveis e involuntárias de um músculo ou grupo de músculos.

Quando ele acontece durante a noite, é chamado de mioclonia noturna, e é considerado um distúrbio do sono. Durante o fenômeno, a pessoa faz movimentos bruscos, principalmente com as pernas.

A mioclonia não é considerada uma doença, ela pode ser causada por uma reação do nosso organismo a uma infecção, a uma pancada na cabeça ou na medula espinhal, tumores cerebrais e problemas nos rins. O uso de drogas ou envenenamento também provocam essa reação.

Alguns pacientes que sofrem de Mal de Parkinson, Alzheimer, Epilepsia e Esclerose Múltipla também podem sofrer com os espasmos noturnos.

Mioclonia, o que é e por que temos durante o sono

Foto: depositphotos

Os cientistas acreditam que a sensação de choque relatada pelos pacientes vem de uma deficiência nos neurotransmissores. Um deles seria a serotonina responsável pela contração dos vasos sanguíneos e por provocar o sono, e o outro seria o ácido gamma-aminobútrico, que atua diretamente no controle muscular.

Qual é o tratamento ideal para mioclonia?

Por não ser considerada uma doença, a mioclonia deve ser tratada como um sintoma de algum problema de saúde. Por isso, se o fenômeno se repetir muitas vezes é indicado procurar ajuda médica, pois um profissional habilitado será capaz de diagnósticas as causas do mal.

Em alguns casos, são prescritos tranquilizantes e remédios para convulsão, a fim de amenizar os espasmos durante o sono.

Conheça alguns distúrbios curiosos do sono

O mais aterrorizante e famoso distúrbio do sono é a paralisia. Essa sensação é descrita como agoniante pelas pessoas que já passaram por ela. O que acontece é que a pessoa fica acordada, mas não consegue me mover. É como se o seu corpo não lhe pertencesse e você observasse tudo o que se passa ao seu redor, sem conseguir interagir.

Outro problema curioso é a desordem dos pesadelos. O fenômeno é descrito por especialistas como a repetição recorrente e assustadora de sonhos na fase REM, que ocupa 25% das fases do sono.

O sonambulismo, apesar de mais comum, também incomoda muita gente. Levantar, andar ou conversar durante o sono podem causar alguns transtornos, principalmente em pessoas que são sonâmbulas intensas, as quais podem se machucar com móveis e escadas, perturbar o sono dos outros ou ficar com muito sono durante o dia, por acordar diversas vezes durante a noite.


Reportar erro