Pré-modernismo

Durante as duas primeiras décadas do século XX, aconteceu o movimento pré-modernista, predecessor do movimento modernista de 22. O movimento não corresponde a uma…


Durante as duas primeiras décadas do século XX, aconteceu o movimento pré-modernista, predecessor do movimento modernista de 22. O movimento não corresponde a uma escola literária, mas a um conjunto de escritores que em sintonia, como não correspondiam a nenhuma das estéticas do final do século XIX, apresentaram esta nova vertente estilística e temática na literatura.

O avanço científico e tecnológico no início do século XX trouxe novas perspectivas a humanidade, trazendo um clima de conforto e praticidade com suas invenções. A literatura era vasta nos primeiros anos deste  século, trazendo poetas desde os parnasianos e simbolistas, até aqueles que escreviam sobre política e detalhes de sua região. A fase pré-modernista marca a transição literária entre o simbolismo e o modernismo.

Pintura pré-modernista Tarsila do Amaral

Foto: Reprodução

A Europa preparava-se para a 1ª Guerra Mundial e o Brasil vivia a política do “café-com-leite”, onde a economia era dominada pelos latifundiários do café. As agitações sociais aconteciam em meio a esta classe dominante que seguia a moda europeia, principalmente no nordeste. A Bahia organizou a “Revolta dos Canudos”, que inspirou a obra “Os Sertões” de Euclides da Cunha. Em 1910 houve a rebelião “Revolta da Chibata”. A crise de 1920 começava e com ela os burburinhos da Semana de Arte Moderna, que marcaria o inicio do Modernismo no Brasil. Neste contexto histórico, aconteceu o Pré-Modernismo.

Características do pré-modernismo

Para alguns estudiosos, o período pré-modernista não deve ser considerado como uma escola literária, uma vez que conta com muitas produções artísticas e literárias com características neorrealistas, neo-parnasianas e neossimbolistas.

Entre as principais características deste movimento, estão a ruptura com o academicismo, com o passado e com a linguagem parnasiana, o uso de linguagem coloquial, a exposição da realidade social brasileira, regionalismo e nacionalismo, marginalidade dos personagens (por ex.: o sertanejo, o caipira, o mulato) e as temáticas envolvendo fatos históricos, políticos, econômicos e sociais.

Autores brasileiros pré-modernistas

Com uma posição crítica em relação à sociedade e aos modelos literários anteriores, os escritores pré-modernos romperam com a linguagem formal e exploraram temáticas históricas, políticas e econômicas, analisando o período em que o Brasil estava (política do café-com-leite e as inúmeras revoltas que aconteciam). Os principais autores da época foram Euclides da Cunha, Graça Aranha, Monteiro Lobato, Lima Barreto, Augusto dos Anjos e João do Rio.

Obras importantes

As obras mais importantes desta época foram “Os Sertões” obra de Euclides da Cunha inspirada na “Revolta dos Canudos”, e “Canaã” de Graça Aranha.


Reportar erro