Primeiro voo comercial do Concorde

O Concorde foi o primeiro avião supersônico de uso comercial, e a tecnologia utilizada era totalmente inovadora, o que garantia a incrível velocidade


O Concorde, o jato comercial mais rápido da história, foi fruto do primeiro projeto de cooperação aeroespacial entre a França, com a companhia Aérospatiale, e o Reino Unido, com a British Aircraft Corporation. Tornou-se o mais famoso avião supersônico utilizado para transporte de passageiros. Foram produzidas 20 unidades do Concorde, seis direcionadas apenas para testes, e as outras 14 divididas entre as duas companhias francesa e britânica.

O Primeiro voo

No dia 21 de janeiro de 1976, realizou seu primeiro voo comercial entre as cidades de Paris e Rio de Janeiro. Voaria até 2003, sendo seus principais destinos os aeroportos de Heathrow, em Londres; Charles de Gaulle, em Paris; JFK, em Nova York; Dulles, em Washington; Benito Juárez, da Cidade do México; e Símon Bolívar, de Maiquetía, na Venezuela.

Sobre o Concorde

Foi o segundo avião movido a reação supersônico de uso comercial, depois do Tupolev Tu-144. Seu nome faz referência à união e à colaboração da França com o Reino Unido para desenvolvê-lo e fabricá-lo. Devido ao seu grande custo de produção, o governo francês e britânico tiveram que dar generosas subvenções às companhias aéreas Air France e British Airways, respectivamente, para sua aquisição.

O Concorde foi pioneiro no uso de novas tecnologias aeronáuticas em um avião comercial: as asas delta e os quatro motores Olympus, um sistema de voo fly-by-wire e o ainda o uso de circuitos híbridos.

primeiro-voo-comercial-do-concorde

Tecnologia avançada

Para ser economicamente viável, o Concorde necessitava percorrer longas distâncias. Isso exigia alta eficiência no consumo de combustível. Para isso, foram utilizados motores de turborreação, com pós-combustão, desenvolvidos pela empresa britânica Rolls-Royce. O design e a pressurização da cabine permitiam voar até 18 mil metros de altura.

A aeronave era equipada com sistemas de reserva de ar que aumentavam a pressão na cabine em casos de emergência, e suas janelas eram menores que o normal, para reduzir mudanças bruscas na pressão atmosférica dentro da cabine em relação ao exterior.

Luxo e velocidade

Desde seu primeiro voo regular, o Concorde simbolizava o luxo e o refinamento na indústria aérea comercial, com direito até à comissárias vestidas pela costureira francesa Nina Ricci e ainda quatro chefes a bordo.

Essa aeronave também se superava na velocidade. Enquanto os aviões comercias demoravam em média oito horas para completar uma viagem entre Paris e Nova York, o Concorde só precisava de cerca de três horas e trinta minutos, com uma velocidade de cruzeiro de Mach 2,02 (aproximadamente 2.140 km/h, ou duas vezes a velocidade do som).

O acidente

No ano 2000, o voo 4.590 da Air France caiu em Gonesse, França. Morreram 100 passageiros, nove tripulantes e quatro pessoas em terra. Foi o primeiro grande acidente do supersônico, causado por uma peça de titânio que se soltou de um avião que havia decolado minutos antes e fez explodir um pneu do Concorde. Um desses pedaços de borracha bateu em um dos tanques de combustível, causando um escape no depósito principal, que, por sua vez, provocou um incêndio no motor 2. O avião, que havia conseguido decolar, sofreu uma violenta queda e atingiu um hotel.


Reportar erro