Protozoários – Reprodução, doenças e características

Os protozoários são seres unicelulares, do reino dos protistas e que ainda podem transmitir diversas doenças. Veja mais da sua reprodução e outros detalhes


Como sabemos, os seres vivos são divididos em cinco reinos, assim como as algas, os protozoários pertencem ao Reino Protista, um tipo de grupo artificial, já que sua origem não parte de um mesmo ancestral.

Eles são organismos unicelulares, o que significa que possuem apenas uma única célula, e seu tamanho pode variar entre 2 e 1000 μm. Sua sobrevivência se dá a partir da absorção de nutrientes do meio externo, já que eles não tem a capacidade de sintetizar a matéria orgânica do ambiente a partir da inorgânica.  Esses organismos podem ser encontrados sem dificuldades tanto em ambientes aquáticos ou úmidos, e algumas espécies podem ser parasitárias de invertebrados e vertebrados ou simplesmente possuir vida livre. A flexibilidade ou a rigidez existente no corpo desses seres variam muito de acordo com a sua forma, dependendo exclusivamente de como se apresenta o seu citoesqueleto, que se localiza logo abaixo do que chamamos de membrana celular. A união dessa membrana com esse citoesqueleto resulta no que chamamos de “película”, que é uma espécie de parede corporal típica desse tipo de organismo.

Protozoários - Reprodução, doenças e características

Imagem: Reprodução

Entre as várias doenças causadas por esses seres podemos destacar, por exemplo: Triconomas Vaginales, um parasitário que se aloca na vagina das mulheres, e também a doença de Chagas, que é transmitida através das fezes de um inseto chamado barbeiro ou chupança, essas fezes são deixadas nas proximidades onde o inseto picou o seu hospedeiro, o que permite que o protozoário da espécie Tripanosoma Cruz penetre na corrente sanguínea através do local onde foi picado.

Locomoção e alimentação

A locomoção desses protozoários pode ser por meio dos flagelos ou cílios, e ainda existem aqueles que possuem extensões fluidas do próprio corpo, ao qual são chamados de pseudópodes. De acordo com seu sistema motor podemos classificá-los em:

  • Filo Sarcodina: Possui uma locomoção caracterizada pela emissão de pseudópodes (Entamoeba histolítica);
  • Filo Mastigophora: Possui o deslocamento por propulsão flagelar (Trypanosoma cruzi e Trichonympha);
  • Filo Ciliophora: Sua movimentação é mantida por curtas e numerosas estruturas ciliares (Paramécium);
  • Filo Sporozoa: não possui apêndices locomotores, sua dispersão é realizada através de esporos (Plasmodium vivax, causador da malária).

Esqueleto e respiração

Sua estrutura esquelética pode ser tando endo, quanto exoesqueleto. Mesmo com a maioria deles sobrevivendo da absorção de materiais orgânicos, alguns deles podem depender da fotossíntese e outros digerir partículas alimentares que se encontram presas no interior de vacúolos. É através da fagocitose que os alimentos entram através do vacúolo, por meio de uma abertura que se denomina citóstoma. Um trato microtubular chamado citofaringe é responsável por conduzir o vacúolo.

Falando sobre sua respiração, a maioria deles possui respiração aeróbica, absorvendo oxigênio por um sistema de difusão, o que muito depende das condições ambientais. Alguns desses protozoários possuem a capacidade de formar cistos, o que contribuiu para que eles retomem a sua formação original, em condições mais favoráveis a respiração.

Sua reprodução se dá através do que chamamos de divisão binária ou múltipla, onde o núcleo se divide em várias partes e em seguida a célula se multiplica em várias outras, dando assim origem a novos indivíduos. De maneira sexuada elas podem se reproduzir por conjugação, e algumas espécies também podem apresentar a chamada alternância de gerações.


Reportar erro