Radioatividade

No ano de 1896, o mundo científico já se beneficiava pela descoberta de W. Roentgen realizada um ano atrás, na qual as ondas eletromagnéticas…


No ano de 1896, o mundo científico já se beneficiava pela descoberta de W. Roentgen realizada um ano atrás, na qual as ondas eletromagnéticas de grande energia poderiam emitir luz, denominando-as de raios X.

Radioatividade

Foto: Reprodução

Raios de Becquerel

Foi quando Antoine-Henri Becquerel, um cientista francês, decidiu estudar a possibilidade de existir raios X em substâncias fluorescentes. Ele observara que o sal de urânio era capaz de tornar um filme fotográfico mais sensibilizado, estando este recoberto por uma lâmina fina de metal.

Becquerel notou que o sulfato duplo de potássio e a uranila emitiam raios similares aos raios X, embora os considerasse “estranhos”, denominando-os “raios de Becquerel”. Eles agiam como se impressionassem as chapas fotográficas depois de atravessarem um papel negro.

A importância do urânio

Anos depois, em 1897, o casal de cientistas poloneses Marie Sklodowska Curie e Pierre Curie foi tomado por um grande e profundo interesse sobre o assunto, e por trabalharem no laboratório de Becquerel passaram a estudá-lo com afinco. Com o progresso de seus estudos, descobriram que a capacidade de emitir os, até então, “raios de Becquerel” era comum para todos os compostos onde houvesse urânio. Ficou assim evidente que o urânio era o responsável comum por aquelas emissões.

Assim, o casal pôde comprovar que o que determinaria a intensidade da radiação seria a quantidade de urânio utilizado na amostra empregada, sendo a radioatividade uma ocorrência atômica.

Curiosidades

Foi constatado que existiam grandes semelhanças com os raios X anteriormente descobertos, como a capacidade de serem retidos por camadas de chumbo, ou de ionizar gases. Um dado importante é que a sugestão do nome radioatividade para a descoberta se deu, pois significa “atividade de emitir raios”.

Prós e contras

Embora tenha sido uma descoberta de grande importância para a sociedade, não podemos considerar como positivo o contato direto de seres vivos com a radiação, já que o indivíduo que a receber poderá sofrer alterações genéticas, ou seja, transmissíveis para seus descendentes. Ainda, pode causar problemas de saúde graves, como a perda da capacidade dos músculos de efetuar importantes sínteses e suas principais características, essenciais para a sobrevivência.

Quando empregada para outras áreas que não exigem grande contato direto, a radioatividade apresenta grandes benefícios, como ser parte fundamental do tratamento de tumores cancerígenos e promover a obtenção de energia nuclear.


Reportar erro