Revivendo a invenção da televisão

A descoberta do sueco Jons Jacob Berzelius, no século XIX, facilitou as diversas experiências até chegar na televisão; saiba mais sobre a origem da TV


Quem hoje vê a televisão toda “esbelta”, parece não lembrar de como ela era logo no início de sua descoberta. Atualmente possuímos HDTV, TV acabo, TV em 3D, de Led e várias outras, mas nem sempre foi assim. Esse aparelho parecia uma caixa enorme com um vidrinho na parte frontal. Contudo, a televisão foi um passo importante na tecnologia e uma grande marco na vida das pessoas, que passaram a pautar seu dia a dia de acordo com o que era transmitido por esse meio de comunicação.

A vontade de transmitir imagens

O homem sempre teve a vontade de passar ideias adiante, mesmo com longas distâncias, por isso, surgiu o telégrafo e depois o telefone e o rádio. No entanto, só a descoberta e o uso das ondas eletromagnéticas tornaram possível o desejo de transmitir imagens a distância. Logo no ano de 1857, Giovanni Caselli realizou uma das tentativas mais antigas desse método, através do pantelégrafo, no qual uma agulha explorava uma cena e enviava impulsos elétricos através de uma linha telegráfica.

Entretanto, uma experiência contribuiu ainda mais para os resultados finais que conhecemos hoje. O químico sueco Jons Jacob Berzelius, no começo do século XIX, descobriu que o selênio possui uma sensibilidade peculiar à luz, o que possibilita a criação de sinais elétricos. E então foram vários experimentos, um atrás do outro, e em 1870 esse elemento foi usado em uma estação de submarinhos.

Revivendo a invenção da televisão

Foto: Reprodução/ internet

Em 1884, o engenheiro alemão Paul Nipkow inventou o disco explorador para análise de imagens. Uma unidade giratória com perfurações em espiral que, ao girar entre uma fonte de luz e um objeto, decompunha a imagem em tantos raios luminosos quanto o número de perfurações. E mesmo mecânico utiliza dois princípios básicos da televisão, isto é, a análise da imagem e a persistência da visão humana, que por sua vez, tem a capacidade dede recompor imagens estáticas e transmiti-las ao cérebro como imagem em movimento.

A 1ª transmissão de objetos em movimentos na TV

Através do disco de Nipkow, John Logie Baird conseguiu desenvolver um aparelho mecânico rudimentar em 1924, esse instrumento conseguiu transmitir, a mais de três metros de distância, a silhueta de uma Cruz Malta. De forma bem artesanal, sua “televisão” foi construída com uma caixa de chá, lâmpada, lata de bolacha, papelão e as lentes eram as mais baratas do mercado.

Em 1925, Baird avançou em seus experimentos e conseguiu transmitir um rosto humano reconhecível. E só em 1926 as imagens em movimento se tornaram possíveis. Desta forma, apresentou seu invento para a Royal Institution de Londres e se tornou um inventor famoso, além de ser considerado o primeiro cientista da história que conseguiu transmitir objetos em movimentos pela televisão.

O crescimento da popularidade da televisão

O inventor fundou em 1927 a Baird Television Development Company. Essa empresa foi responsável por diversas difusões e inovações no campo televisivo. Realizou uma transmissão de Londres a Glasgow e assim mostrou aparelho de televisão a cores. No ano seguinte, transmitiu de Londres para Nova Iorque.

Em 1929, com a colaboração da BBC – British Broadcasting Corporation – de Londres, Baird realizou a primeira transmissão pública de televisão. Pouco tempo depois, foi televisionada a primeira peça de teatro e mais adiante começaram as apresentações ao vivo. O sistema desenvolvido pelo cientista foi ultrapassado pelo uso do tubo de raios catódicos, patenteado por Vladimir Zworykin.


Reportar erro