Revolta da Sabinada – Causas e líderes desta história

A Sabinada foi uma revolta que aconteceu na Bahia entre os anos de 1837 e 1838, e teve esse nome devido ao seu líder, um médico e jornalista chamado Francisco…


Revolta da Sabinada - Causas e líderes desta história

Imagem: Reprodução

A Sabinada foi uma revolta que aconteceu na Bahia entre os anos de 1837 e 1838, e teve esse nome devido ao seu líder, um médico e jornalista chamado Francisco Sabino Álvares da Rocha Vieira. Ocorreu devido a insatisfação popular dos baianos quanto aos desmandos e a opressão de um governo que só tinha interesse de enriquecer a si próprio. Se destacando por ter uma enorme participação das camadas mais populares da sociedade, a revolta contava com integrantes da classe média e rica do estado, profissionais liberais, comerciantes, médicos, jornalistas, entre outros.

O início do levante

Antes da revolução surtir o efeito que todos esperavam, uma primeira tentativa se mostrou falha quando um grupo de negros malês fracassou na tentativa de invasão e conquista à cidade de Salvador. Posteriormente o médico Francisco Sabino liderou os participantes da Sabinada, que se mostravam contrários a forma como a centralização política tratava a população desde o início do Brasil Império.

Pouco a pouco o movimento ia conseguindo ampliar ainda mais seus seguidores. No dia 7 de novembro de 1837 quem decidiu adotar a manifestação foram os militares da Fortaleza de São Pedro, e com essa força, os revoltosos da sabinada se viam aptos a darem um passo ainda mais sério no que dizia respeito a libertação política do povo baiano em relação aos mandos e desmandos do governo. Usando de uma elaborada estratégia, os membros da Sabinada obrigaram o governador Francisco de Souza Paraíso a abandonar o seu posto, e após esse golpe político, acompanhado de seus parceiros de luta, Sabino decretou a criação da República Bahiense, deveria durar até D.Pedro II atingir a maioridade.

Enquanto o herdeiro ao trono no Brasil, D. Pedro II não possuía idade suficiente para ascender ao poder, o novo governo conseguiu se consolidar em caráter transitório, tentando trabalhar para que o povo baiano gozasse de bem estar e uma certa tranquilidade no período. Um dos objetivos da nova república que acabava de ser criada em território baiano era o de conceder a todos os escravos que declarassem apoio ao governo sua liberdade, uma forma de adquirir ainda mais seguidores, fortificando ainda mais o poder da nova administração política e aumentando o número de membros adeptos ao sistema.

O fim da Sabinada

As coisas pareciam boas demais para ser verdade, o novo governo se consolidando e buscando se firmar, porém, não imaginavam que o governo regencial estava preparando um ataque e tinha como objetivo recuperar o território baiano, acabar de vez com aquela revolução recém-iniciada. Organizando um destacamento de forças militares, a regência nomeou um novo governador e os enviou para que pusesse fim ao levante de uma vez por todas. Bloqueando as saídas marítimas de Salvador, as tropas governamentais deram início a um ataque por terra, e entre os dias 13 e 15 de março ocuparam as ruas de Salvador rendendo os participantes da revolta.

Condenação dos líderes

Para por fim a batalha e mostrar que haviam saído vitoriosos, o governo regencial tratou de julgar os líderes da revolta, condenando três deles a pena de morte e os demais à prisão perpétua, porém, decidiram posteriormente deixar as penas mais leves, dando-lhes apenas o degredo em solo brasileiro.

revisao-allex-historia


Reportar erro