Revoltas Nativistas – História do Brasil

Saiba mais sobre as principais Revoltas Nativistas, seus motivos e influência na história do Brasil colonial


As denominadas Revoltas Nativistas foram um grupo de movimentos locais, rebeliões e revoltas que aconteceram no mesmo período e tiveram uma coisa em comum: o nativismo, que nada mais é do que o sentimento de apego profundo pelo lugar em que nasceu. As revoltas, que começaram a acontecer em meados de 1641, muitas vezes expressavam o desagrado da população da colônia brasileira em relação às medidas tomadas pela coroa portuguesa, e eram formados por pessoas de várias classes, desde escravos até donos de terras. Era notável também que todos tinham um caráter regionalista e não se preocupavam com a unidade nacional.

Os conflitos

Mapa com algumas das Revoltas Nativistas

Mapa ilustrando a localização de algumas das revoltas. | Imagem: Reprodução

Entre os principais conflitos podemos destacar a Guerra dos Mascates, em Pernambuco, que foi fundamental na separação de Recife e Olinda; A Revolta dos Irmãos Beckman, no Maranhão, que aconteceu após a crise açucareira que atingiu o Brasil em 1680; A Guerra dos Emboabas, em Minas Gerais, que culminou na criação da Capitania de São Paulo; A Aclamação de Amador Bueno da Ribeira, em São Paulo e a Revolta de Filipe dos Santos, em 1720, na Capitania de São Vicente.

Alguns estudiosos afirmam que as revoltas nativistas não foram resultado de nenhum arroubo de paixão pela pátria nem um crescente desejo de conseguir a independência do Brasil, não se pensava na emancipação do país, e sim na melhora dos aspectos do pacto colonial. A colonização, que se estendeu de maneira predominante por dois séculos, não foi de todo mal para o Brasil, que cresceu durante esse período e beneficiava de alguma forma os colonos do país com a subordinação que devia a Portugal.

As revoltas nativistas e o rompimento com Portugal

Essa onda de conflitos que durou até o ano de 1720 é sempre citada na história como tendo como intenção melhorar as relações entre os colonos e a coroa portuguesa, de uma maneira em que fossem respeitados os interesses dos dois lados. Muitas das revoltas que aconteceram nesse período visavam manter inclusive a ordem escravocrata. Em nenhum momento, no início das revoltas nativistas tinha-se o desejo de separar o Brasil de Portugal, essa foi uma ideia concebida muitos anos depois, com a influência da Revolução Francesa, que aconteceu em 1789, e fez crescer nos brasileiros o desejo de romper com Portugal, para organizar o ambiente local e melhorar a vida dos nativos.

Em análise, as revoltas nativistas foram essenciais para a modificação profunda do modo de vida dos habitantes locais, criando dessa maneira, novas relações econômicas e sociais e construindo os primeiros atos de uma identidade civil puramente nacional.


Reportar erro