Revolução Chinesa – Fique por dentro desta história

A Revolução Chinesa aconteceu na China, no ano de 1911 e teve como consequência a libertação do povo do poder imperialista


A Revolução Chinesa foi um movimento que aconteceu na China, no ano de 1911, e teve como líder o médico, político e estadista chinês Sun Yat-sen. Com um cunho político, social, econômico  e cultural, este movimento nacionalista conseguiu derrubar a Dinastia de Manchu do poder. Podemos dividir esta revolução em dois períodos:

Movimento Nacionalista – Também conhecida como Revolução de Xinhai, foi responsável por derrubar a dinastia Machu e Proclamar a República, no ano de 1911. Foi coordenada por Sun Yat-sen.

Revolução Comunista – Ocorrida em outubro de 1949, após a Guerra Civil Chinesa, os comunistas tomaram o poder e proclamaram a República Popular da China, tendo como líder supremo Mao Tse-tung.

A China antes da Revolução

Durante muito tempo, principalmente no século XIX e início do XX, a China foi uma nação completamente dominada pelas conhecidas potências europeias. Se já não bastasse a elevada exploração econômica que o povo chinês tinha que passar, principalmente pelo Reino Unido, eles ainda tinham que se sujeitar a interferências políticas e culturais, se tornando uma nação submissa aos desejos europeus.

Cada dia mais a população se mostrava mais inconformada com esta situação, demonstrando que não era de acordo com essa dominação estrangeira.  Revoltas começavam a se formar na tentativa de expulsar de suas terras aquele povo que não era bem vindo ali.

Alguns atos de rebeldia já começaram em 1898 e 1900, quando aconteceu uma revolta de caráter nacionalista que foi fortemente reprimida pelas tropas estrangeiras. Esse conflito ficou conhecido como Guerra dos Boxers. Em 1908 Sun Yat-sen fundaria o Partido Nacionalista, que seria de grande importância para a oposição à monarquia e ao domínio europeu.

A Revolução Nacionalista

Após o ano de 1901, Tseu-Hi e Kiang Yu-wei haviam promovido algumas reformas na China, reformas essas por sinal que não foram capazes de satisfazer os desejos da burguesia, que queria fervorosamente poder atuar politicamente e assim libertas a China da dominação estrangeira. A crise agravou-se ainda mais em 1911,quando o governo anunciou que iria nacionalizar as ferrovias criadas com capitais chineses. A burguesia entendeu aquilo como uma concessão aos estrangeiros, e a partir daquele momento deveriam fazer algo o quanto antes para impedir que suas terras fossem cada vez mais dominadas por outros países.

Sun Yat-sen

Imagem de Sun Yat-sen | Foto: Reprodução

Sun Yat-sen, que havia criado o Partido Nacionalista, em 1905 na cidade de Hong-Kong, foi uma importante figura na revolução chinesa. Ele liderou o movimento que contou com o apoio em massa dos antigos participantes da Reforma dos Cem Dias, estudantes, militares e políticos liberais. Eles se inspiravam nos três princípios do povo:

  • Nacionalismo
  • Democracia
  • Sustento do Povo

Utilizando de um discurso com alto teor patriótico, Sun Yat-sen tentava buscar a mobilização popular, exigindo que todos os estrangeiros que exploravam a riqueza do país fossem expulsos e também a queda da dinastia Qing.

Em 10 de outubro de 1911 teve início a revolução de Xinhai, que levou a queda da dinastia de Qing e produziu a insurreição que ficou conhecida como Revolta de Wuchang. Conseguindo o apoio de diversos políticos de outras províncias, várias revoltas foram eclodindo pelo país, tendo seu término em 12 de fevereiro de 1912 quando o último imperador, Puyi, abdicou de uma vez por todas. Sun Yat-sen se tornou o Presidente das Províncias Unidas da China, sendo eleito em novembro de 1911. Sem formas de resistir, a dinastia entrega o poder ao general Shikai, que proclamou a República em fevereiro de 1912, do qual é eleito presidente provisório após Yat-sen ter renunciado em beneficio da unidade nacional.

Revolução Comunista

Revolução Chinesa - Fique por dentro desta história

Imagem: Reprodução

Após todas as conquistas, e mesmo com o enfraquecimento dos imperialistas após a Primeira Guerra Mundial, a China ainda encontrava dificuldades em resistir aos interesses dos estrangeiros, principalmente dos japoneses e britânicos. A revolução Russa havia influenciado na criação do Partido Comunista Chinês, que por sua vez se mostrava insatisfeito com a atuação dos membros do Partido Nacionalista, assim como os militares.

Insatisfeitos com a miséria, a população apoiou não apenas a criação do Partido Comunista, como desejava retirar do poder as lideranças do Partido Nacionalista, Kuomintang. Os comunistas foram perseguidos pelos Nacionalistas, que perceberam que estavam correndo risco de perder o poder.

Em outubro de 1949, tendo Mao Tsé-Tung a frente, os comunistas tomaram o poder e proclamaram a República Popular da China. A partir daquele momento a China passava a ser um país comunista. Sobre o comando de Mao, a China passou por grandes transformações, a começar pela coletivização das terras, a nacionalização das empresas estrangeiras e o controle estatal da economia. Ele também foi o principal responsável por libertar os chineses da dominação imperialista, que durava séculos e parecia jamais ter fim.

*Revisado por Allex Albuquerque, graduado em história.

 


Reportar erro