Revolução dos cravos

Em Portugal, no dia 25 de Abril de 1974, ocorreu a revolução dos cravos, que foi como ficou conhecido o fim do regime ditatorial…


Em Portugal, no dia 25 de Abril de 1974, ocorreu a revolução dos cravos, que foi como ficou conhecido o fim do regime ditatorial do Estado Novo Português, liderado por Antônio de Oliveira Salazar e Marcelo Caetano. Tal revolução abriu precedentes para que uma nova proposta política ganhasse espaço: a liberdade democrática.

Portugal Pré-revolução dos cravos: contexto histórico

No ano de 1926, em Portugal, ocorreu um golpe militar que acabou resultando, no ano de 1928, eleição presidencial de Óscar Carmona e, depois de alguns anos, em 1932, Antonio de Oliveira Salazar assumiu o cargo de primeiro-ministro das finanças, além de atuar como ditador.

Este teve sua inspiração de governo nos ideais do fascismo italiano e, na constituição de 1933, ele determinou, após assunção ao cargo de primeiro-ministro, que estariam retirados os direitos de reunião, de expressão e de organização, infringindo de forma intensa a liberdade dos indivíduos.  A ditadura passou a ser assumida como o governo de Portugal pelos oposicionistas, assim como alguns intelectuais, e isso acabou com o fortalecimento da ideia de violação de direitos humanos.

Movimento ficou conhecido o fim do regime ditatorial do Estado Novo Português

Foto: Reprodução/ internet/ arquivo

As eleições no país eram repletas de fraudes e muitas denúncias e, além disso, a polícia da ditadura fez de tudo para que, com treinamento da Agência Central de Inteligência (CIA) e da Geheime Staatspolizei “polícia secreta do estado” (Gestapo), controlassem a oposição e as ideias públicas.

A economia acabou favorecendo os donos de grandes indústrias, tornando mais fortes os monopólios, fazendo com que a desigualdade social aumentasse.

Até os anos 1960, a fraqueza econômica permaneceu, trazendo o grande processo de emigração, mas alguns bons ares vieram com a adesão do país a Associação Europeia de Comércio Livre (EFTA), fazendo com que alguns setores se desenvolvessem. Posteriormente, Marcela Caetano, ditador, destituiu o alto general António Spínola, desejando retirar todos que queriam atrapalhar seus planos. Algumas movimentações dos opositores começaram a ocorrer.

A revolução dos cravos

Em 24 de abril de 1974, começaram as agitações quando algumas tropas começaram a se posicionar perto do palácio do governo, objetivando tomá-lo de forma muito rápida. General António Spíndola foi nomeado presidente da república e, depois disso, entrou em vigência o Processo Revolucionário em Curso (PREC), período em que houveram muitas manifestações e governos provisórios.

Criou-se uma instituição que entrou em vigência em 25 de abril de 1976, garantindo eleições legislativas pela primeira vez. Tratou-se portanto de um importante acontecimento da história de Portugal, trazendo diversas transições de modelos de governos diferentes, dando à população a vitória.


Reportar erro