Senadores que votaram contra e a favor do impeachment de Dilma

Ao todo, 81 senadores participaram da votação, sendo que, 61 votaram a favor da cassação e outros 20, contra. Saiba quem são eles


Na quarta-feira, 31 de agosto de 2016, a então presidente da República, Dilma Rousseff, foi condenada por crime de responsabilidade, em sessão no plenário do Senado Federal, em Brasília. Ao todo, 81 senadores participaram da votação, sendo que, 61 votaram a favor da cassação e outros 20, contra.

O resultado levou a aprovação do processo de impedimento da presidente Dilma Rousseff, que a partir de então foi definitivamente afastada de seu cargo. Essa foi a segunda vez na história política do Brasil que um presidente da República foi afastado do seu cargo por meio do impeachment.

Sobre a votação

Senadores que votaram contra e a favor do impeachment de Dilma

Foto: reprodução/agencia brasil

Como parte do processo do impeachment, Dilma Rousseff foi convocada ao Senado federal para fazer a sua defesa, respondendo algumas perguntas feita pelos senadores. A sessão foi bastante cansativa, se estendendo por mais de 13 horas.

Depois disso, os senadores realizaram duas votações: a primeira decidiu sobre o impeachment e a segunda, que a presidente não ficará inelegível por oito anos e poderá exercer função pública.

O processo teve fim nove meses após a autorização da abertura pelo deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), depois das denúncias feitas pelo ex-procurador de justiça Hélio Pereira Bicudo e pelos advogados Miguel Reale Júnior e Janaína Conceição Paschoal.

Na acusação contra Dilma recai a emissão de seis decretos de crédito suplementar em 2015 e as pedaladas fiscais, que consiste em operação de crédito considerada irregular.

Votos à favor

Após quase 70 horas de julgamento, iniciado no dia 25 de agosto, foram ouvidos, além da própria representada, parlamentares, testemunhas e os advogados das duas partes. No processo, 61 senadores votaram a favor do impeachment. Saiba quais foram eles:

Acir Gurgacz (PDT-RO), Aécio Neves (PSDB-MG), Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), Alvaro Dias (PV-PR), Ana Amélia (PP-RS), Antonio Anastasia    (PSDB-MG), Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), Ataídes Oliveira (PSDB-TO), Benedito de Lira (PP-AL), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), Cidinho Santos (PR-MT), Ciro Nogueira (            PP-PI), Cristovam Buarque (PPS-DF), Dalírio Beber (PSDB-SC), Dário Berger (PMDB-SC), Davi Alcolumbre (DEM-AP), Edison Lobão (PMDB-MA), Eduardo Amorim (PSC-SE), Eduardo Braga (PMDB-AM), Eduardo Lopes (PRB-RJ), Eunício Oliveira    (PMDB-CE), Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), Fernando Collor (PTC-AL), Flexa Ribeiro          (PSDB-PA), Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), Gladson Cameli (PP-AC), Helio José (PMDB-DF), Ivo Cassol (PP-RO), Jader Barbalho (PMDB-PA), João Alberto Souza (PMDB-MA), José Agripino (DEM-RN), José Anibal (PSDB-SP), José Maranhão (PMDB-PB), José Medeiros (PSD-MT), Lasier Martins (PDT-RS), Lúcia Vânia (PSB-GO), Magno Malta (PR-ES), Maria do Carmo Alves (DEM-SE), Marta Suplicy (PMDB-SP), Omar Aziz (PSD-AM), Paulo Bauer (PSDB-SC), Pedro Chaves (suplente de Delcídio Amaral cassado pelo Senado) (PSC-MS), Raimundo Lira (PMDB-PB), Reguffe (sem partido-DF), Renan Calheiros (PMDB-AL), Ricardo Ferraço (PSDB-ES), Roberto Rocha (PSB-MA), Romario (PSB-RJ), Romero Jucá            (PMDB-RR), Ronaldo Caiado (DEM-GO), Rose de Freitas   (PMDB-ES), Sérgio Petecão (PSD-AC), Simone Tebet (PMDB-MS), Tasso Jereissati (PSDB-CE), Telmário Mota (PDT-RR), Valdir Raupp (PMDB-RO), Vicentinho Alves (PR-TO), Waldemir Moka (PMDB-MS), Wellington Fagundes (PR-MT), Wilder Morais (PP-GO) e Zezé Perrella (PTB-MG).

Votos contra

Por outro lado, tiveram ainda aqueles senadores que votaram contra o processo de impeachment, acreditando que não houve crime de responsabilidade, principal acusação que recai sobre Dilma Rousseff no processo de afastamento. Saiba quais foram os senadores:

Angela Portela (PT-RR), Armando Monteiro (PTB-PE), Elmano Férrer (PTB-PI), Fátima Bezerra (PT-RN), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Humberto Costa (PT-PE), João Capiberibe (PSB-AP), Jorge Viana (PT-AC), José Pimentel (PT-CE), Kátia Abreu (PMDB-TO), Lídice da Mata (PSB-BA), Lindbergh Farias (PT-RJ), Otto Alencar (PSD-BA), Paulo Paim (PT-RS), Paulo Rocha (PT-PA), Randolfe Rodrigues (REDE-AP), Regina Sousa (PT-PI), Roberto Muniz (PP-BA), Roberto Requião (PMDB-PR) e Vanessa Grazziotin (PC do B-AM).


Reportar erro