Sesi apresenta iniciativa de aprendizado de inglês pelas redes sociais

O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, visitou dia 17 a escola do Serviço Social da Indústria (Sesi) em Taguatinga, no Distrito Federal, para conhecer…


O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, visitou dia 17 a escola do Serviço Social da Indústria (Sesi) em Taguatinga, no Distrito Federal, para conhecer o Programa Conexão Mundo, que ensina inglês para alunos do Sesi e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Embora, segundo ele, não exista projeto no Ministério da Educação (MEC) de cursos de língua estrangeira para alunos do ensino médio, é interessante conhecer iniciativas que podem ser incorporadas pelos governos.

“A grande vantagem que os governos têm é que eles podem dar escala, eles podem converter em prática universal o que é uma experiência local, daí o interesse em ver como está o aprendizado de inglês em uma escola do Sesi”, disse o ministro. Ele explicou que as escolas do Sistema S são mantidas com dinheiro da sociedade, por meio de contribuições específicas.

Sesi apresenta iniciativa de aprendizado de inglês pelas redes sociais

O ministro Renato Janine discursa durante a 4ª Edição do Programa Conexão Mundo.  José Cruz/Agência Brasil

O programa foi criado em 2012 e neste ano atende atende a mais de 2 mil alunos em escolas de 32 cidades de 20 estados brasileiros. Feito em parceria com a organização não governamental (ONG) dos Estados Unidos, US-Brazil Connect, o programa estimula a fluência na língua inglesa e promove o intercâmbio cultural entre jovens dos dois países.

O ministro ressaltou a importância do contato dos alunos com a língua estrangeira desde cedo, pois isso facilita o aprendizado e a expansão das possibilidades de conhecimento para as pessoas que dominam outros idiomas. “Línguas estrangeiras são uma grande porta de abertura para o mundo. O acesso a todo conhecimento mundial nos é facilitado pelo inglês.”

Participam alunos do ensino médio da educação básica do Sesi articulada com a educação profissional do Senai. Eles têm aulas via Facebook e Hangouts (sistema de chamadas de vídeos do Google) e por uma plataforma de ensino a distância. Na segunda etapa do programa, que está ocorrendo este mês, o Sesi recebe os jovens dos Estados Unidos para proporcionar o contato com os alunos brasileiros e, ao final do processo, os alunos que se destacarem e tiverem a maior evolução no idioma serão selecionadas para um intercâmbio de duas semanas no país.

Segundo o diretor adjunto de Educação e Tecnologia da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Sérgio Moreira, o objetivo do programa é ocupar o tempo dos jovens na internet de uma forma divertida e prazerosa para o estudo do inglês. “Eles estão estudando porque têm a percepção da importância do conhecimento de outra língua como forma de introdução no mercado de trabalho.”

O estudante Adan Viana, de 17 anos, diz que a experiência e o contato com jovens americanos é “incrível” e reconhece a necessidade do aprendizado do inglês para seu futuro. “Pretendo seguir carreira de engenheiro eletrônico e muitos dos componentes e dos termos usados nessa profissão são em inglês. Além disso, é a língua universal – para conhecer outros países, precisamos saber inglês e também para melhorar a comunicação aqui mesmo, para receber pessoas de fora.”

Para a presidenta da ONG US-Brazil Connect, Mary Gershwin, é importante que os países trabalhem juntos para reduzir a desigualdade e expandir as oportunidades de jovens no mundo todo. “A coisa mais importante são as conexões que acontecem entre as pessoas, porque o aprendizado da língua não é algo só teórico, mas que vem dos relacionamentos.”

O presidente do Conselho Nacional do Sesi, Gilberto Carvalho, disse que a entidade quer se colocar cada vez mais a serviço da educação pública a fim de estender o conhecimento a todos. “Queremos que todo cidadão brasileiro tenha o mesmo direito que vocês [alunos do Sesi], de estar em uma escola dessa qualidade e de ter a oportunidade de participar de um programa como esse. Queremos cada vez mais que o Sesi estenda a sua contribuição ao conjunto da educação pública brasileira”, disse.

*Da Agência Brasil


Reportar erro