Sujeito e predicado

Sujeito e predicado são os termos essenciais (ou fundamentais) da oração. Sujeito é o ser de quem se informa alguma coisa; predicado é o…


Sujeito e predicado são os termos essenciais (ou fundamentais) da oração. Sujeito é o ser de quem se informa alguma coisa; predicado é o termo que contém a declaração, referida, em geral, ao sujeito.

Confira o exemplo a seguir:

O vento sacudia as folhas.

Na frase acima, “o vento” é sujeito da oração; “sacudia as folhas” é o predicado.

Classificações do sujeito

De acordo com o gramático Domingos Paschoal Cegalla, o sujeito é constituído por um substantivo ou pronome, ou por uma palavra ou expressão substantivada. Na língua portuguesa, o sujeito pode ser determinado ou indeterminado. Além disso, podemos encontrar as orações sem sujeito.

Sujeito e predicado

Foto: Pixabay

O sujeito pode ser:

Sujeito determinado

Ocorre quando podemos reconhecer o elemento representante do sujeito ao qual o predicado se refere e indicá-lo na oração. É subdividido em: sujeito determinado simples e sujeito determinado composto.

Sujeito determinado simples: possui apenas um núcleo. Exemplo: Maria dorme tarde. Nesse caso, “Maria” é o núcleo.

Sujeito determinado composto: possui mais de um núcleo. Exemplo: O diretor e os professores participaram da reunião. Nesse caso, o núcleo é formado por “o diretor e os professores”.

Sujeito indeterminado

Ocorre quando é possível perceber a existência de um elemento ao qual o predicado se refere, porém não conseguimos identificar qual (ou quais) é esse elemento.

Exemplos: Perguntaram sobre você na festa.

Precisa-se de vendedor.

Sujeito oculto (ou elíptico)

Ocorre quando está implícito, isto é, não está expresso, mas se deduz do contexto.

Exemplo: Viajarei amanhã. (sujeito oculto = eu)

Sujeito inexistente

Ocorre com verbos impessoais, como “haver” no sentido de “existir”, “ser” quando indicam tempo e distância e todos os verbos que indicam fenômenos da natureza.

Exemplos: Choveu muito ontem.

É noite.

Faz dois anos que não vejo um dos meus melhores amigos.

Classificações do predicado

Há três tipos de predicado: nominal, verbal e verbo-nominal.

Predicado nominal: seu núcleo é um nome (substantivo, adjetivo, pronome), ligado ao sujeito por um verbo de ligação.

Exemplo: Os rapazes são gentis. Nessa frase, “os rapazes” compõe o sujeito, “são” é o verbo de ligação e “gentis” é o predicativo do sujeito.

Predicado verbal: seu núcleo é um verbo, seguido, ou não, de complementos ou termos acessórios.

Exemplo: Os pessegueiros floresceram. Nessa frase, “os pessegueiros” é o sujeito, e o predicado verbal é formado pelo verbo intransitivo “floresceram”.

Confira outros exemplos a seguir:

-A mãe chamou o médico.
-Os jovens gostam de aventuras.
-O escritor ofereceu o livro a um amigo.

Predicado verbo-nominal: apresenta dois núcleos significativos, sendo um verbo e um nome.

Confira o exemplo a seguir:

A criança corria feliz.

Sujeito = a criança
Núcleo do sujeito = criança
Predicado verbo-nominal = corria feliz (ação+estado)

 

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas).


Informar erro